Geral

Filho de Moraes Moreira lança disco-homenagem com participação de artistas da MPB

Em abril de 2020, ano de tantas perdas, a música brasileira perdia Moraes Moreira. Ficou um vazio imenso e a beleza de uma obra tão vasta e perene quanto genial. Davi Moraes, filho e herdeiro musical do artista baiano lançou na terça-feira (5) um EP com quatro canções, três delas inéditas, que nasceu do desejo de homenagear Moraes Moreira.

“É uma homenagem do jeito que meu pai gostava, ou seja, cercado de amigos”, diz ele sobre o trabalho que traz quatro faixas e foi feito sob o impacto emocional da repentina morte do ex-integrante dos Novos Baianos.

“O sentimento maior que bateu em mim, logo nos momentos da partida de Moraes, foi gigantesco, mas de gratidão por ter tido um pai maravilhoso, um companheiro de estrada e por esse mestre que me ensinou tanto”, diz.

Entre as músicas do novo trabalho, ‘Aquele abraço do Gil’, parceria inédita de Moraes e Joyce Moreno, ‘Aos Santos’, com Carlinhos Brown, ‘O canto das Multidões’, composição de Mu Carvalho em parceria com Tuca de Oliveira, e a regravação ‘Davilicença’, junto com Marina Lima. “Fico feliz de reunir esse time porque era uma marca dele ter sido gravado por cantoras e cantores incríveis da música brasileira. Acabou que o EP tem esse clima A Cor do Som, Brown, Marina, Joyce, que chegaram naturalmente ao projeto”, comemorou Davi Moraes.

O EP traz uma música inédita de Moraes Moreira, o samba Aquele abraço do Gil, que o artista compôs com Joyce, numa parceria que deixou Davi impressionado. “Sou muito fã dela. Eles eram muito amigos e, desde cedo, meu pai me falava dela. Ele me contou que se encontrou com ela em uma padaria, na Gávea, e lhe deu a letra. Ela então lhe mandou a gravação, já com a letra. Ele me mostrou e fiquei louco com a música. Embora já se conhecessem há muitos anos, essa foi a primeira parceria deles.”

Davi havia pedido a Joyce e Moraes que deixassem a composição reservada para que ele gravasse em seu disco, que estava em produção. E então Moraes morreu. “Parei com o trabalho. A Joyce me ligou e perguntou: ‘Por que a gente não lança agora como um single? Depois você lança o seu disco’.”

Ele não apenas gostou da ideia, como decidiu ampliá-la para um EP com quatro faixas em homenagem ao pai. “A partir desse telefonema dela, me animei. Aí comecei a pensar em algumas participações.”

Para lidar com o luto, Davi buscou conforto na família, nos amigos e também na música. “Nessas horas, o violão é um amigo que não tem preço. Eu ficava em casa tocando, lembrando músicas antigas do meu pai e buscando, com toda aquela emoção que estava vivendo, inspiração para começar a compor.”

A inspiração veio na forma da canção Aos santos, que ele enviou para Carlinhos Brown. “Ele adorou e fez uma letra linda, meio profética, porque tem uma passagem que fala: ‘fiquei sem resposta, sem tocar na banda’. E 2020 foi um ano em que não participei do Carnaval com ele (Moraes), porque estava com uma filha pequena e precisava de um pouco de sossego.”

Há algum tempo, pai e filho tocavam juntos no Carnaval. “Tenho o meu repertório e fazíamos um show dividido. Quando eu disse a ele que desse eu não iria participar, ele entendeu numa boa”, relembra Davi.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo