DestaquePolícia

Delegacia de Arraial do Cabo prende traficante que matou homem na Prainha

O Núcleo de Homicídios da 132ª Delegacia de Arraial do Cabo, Região dos Lagos, prendeu na última quarta-feira (14), o traficante que matou um rapaz de 20 anos na orla da Prainha, no dia 26 de setembro. Na ocasião, cinco banhistas ficaram feridos por balas perdidas. As investigações apontam que o crime foi motivado por uma rixa entre facções criminosas rivais. Para prender o homem identificado como Fábio da Silva de Melo, conhecido como Fábio da Prainha, de 48 anos, os policiais civis montaram uma operação de inteligência, trabalhando disfarçados e infiltrados nos locais frequentados pelo criminoso.
Fábio da Prainha teve mandado de prisão temporária expedido pela Justiça na noite de terça-feira (13), após pedido da delegada Patrícia Aguiar. Na casa dele, foram apreendidos o boné e a blusa que ele usou no dia e que aparecem nas filmagens. “Viemos monitorando esse traficante, seus hábitos, suas frequências em lugares pela cidade. Utilizamos viaturas descaracterizadas, policiais à paisana, disfarçados, procurando evitar um risco maior a todas as pessoas envolvidas no evento. Além da prisão temporária, realizamos dois mandados de busca e apreensão onde conseguimos apreender a roupa utilizada pelo criminoso no dia do fato, três celulares, projéteis de arma de fogo que serão encaminhados para perícia”.
O alvo do ataque foi o traficante Walmir de Souza Goularte Filho, conhecido como Walmirzinho, que já tinha pertencido à mesma facção criminosa de Fábio e mudou da cidade, migrando para o grupo rival. Walmirzinho estava acompanhado de Willian Adriano Sobreira dos Santos, conhecido como Pará, traficante que também mudou para a facção rival. Pará estava armado e reagiu ao ataque. Na troca de tiros, três turistas e dois moradores acabaram sendo atingidos. Walmirzinho foi socorrido, mas morreu no hospital.
Câmeras de segurança do local do crime registraram o momento em que Fábio chegou à praia na garupa de uma moto, poucos minutos após a chegada do veículo no qual estavam Walmirzinho e Pará. As imagens também mostram a correria durante o tiroteio e, depois, Fábio deixando o local em fuga.
“Conseguimos prender o traficante que executou outro traficante de facção criminosa rival, em plena luz do dia, em um sábado, na Prainha. Cinco pessoas ficaram feridas na ação. Essa tragédia poderia ter ocorrido de uma forma maior ainda. Logo que o crime ocorreu, iniciamos as investigações com o Núcleo de Homicídios da Delegacia de Arraial do Cabo para estar colhendo provas. Identificamos câmeras de segurança que gravaram o momento de chegada e saída desses criminosos na ação. Ouvimos testemunhas, conseguimos identificar uma pessoa que visualizou todo o evento, e com isso, conseguimos representar pela prisão temporária deste criminoso junto à Vara Única de Arraial”, relatou a delegada Patrícia Aguiar.
Ainda de acordo com informações da polícia, um áudio de WhatsApp que circulou pelos grupos de Arraial do Cabo revelou que os traficantes locais ficaram em alerta quando Walmirzinho e Pará, que não estavam mais morando em Arraial do Cabo, chegaram à cidade. No áudio, um criminoso avisa da movimentação dos rivais e convoca que os comparsas “coloquem as motos na pista”.
A delegada afirma ainda que as investigações continuam. “Todos os envolvidos na ação criminosa já foram identificados. As diligências continuarão, e com isso, conseguiremos elucidar e apresentar ao poder judiciário a solução desse caso”.
Fábio, que tem várias passagens pela polícia por tráfico de drogas, associação para o tráfico, lesão corporal e ameaça, entre outros crimes, deixou a cadeia em 2018. Os policiais civis estão agora em busca do comparsa de Fábio, que pilotou a moto. Ele também é traficante, tem diversas passagens pela polícia e deixou a prisão no início deste ano. O criminoso já foi identificado, mas não teve a identidade revelada. Contra Pará também há um mandado de prisão expedido pela Justiça. Ele é considerado foragido.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo