CidadesDestaque

Moradores de Rio das Ostras questionam: ‘ Cadê a água, Sr. Prefeito?’

Moradores de Rio das Ostras, no interior do Estado do Rio de Janeiro, que sonharam com dias melhores para a cidade através da dita renovação política, hoje continuam a amargar dificuldades. A promessa de dignidade para a população não conseguiu alcançar a todos os moradores que precisam seguir cobrando direitos básicos, que não deveriam ser motivo de preocupação.

Em pleno momento de pandemia que tem deixado diversos países em alerta para a prevenção do Covid-19, que consiste principalmente em lavar sempre as mãos com água e sabão, moradores questionam onde está a água que não chega a suas casas.

“Cadê a água? O que adianta informações sobre a pandemia, se peca na informação do motivo da falta da água? Todos sabem da importância da água para a prevenção da Covid-19. Nessa crise toda ainda teremos que ficar comprando caminhão PIPA? Cadê a água Sr. Prefeito? Há duas semanas que não cai uma gota”, questiona a moradora Liana Cordeiro, que denuncia a situação que os moradores do bairro estão vivendo.

Liana aponta ainda, que as atualizações da evolução da doença não suficientes se a população não tiver acesso aos meios básicos de prevenção e que as devidas fiscalizações da prefeitura não estão sendo efetivas. “Boletim epidemiológico todo dia, mesmo com o comércio lotado, os transeuntes sempre sem máscara, fiscalização zero. Praia nem se fala. Agora eu quero saber é só da água. Até agora, já mandei várias mensagens e nada. Isso é gravíssimo. Em plena pandemia, o povo sem água”.

Um morador que prefere não se identificar aponta a questão da falta de água e da necessidade de depender de carros-pipa. “Estou pedindo pelo amor de Deus que o Sr. Prefeito tome atitude e resolva o problema do abastecimento de água. Eleição chegando e a máfia dos carros-pipa aí. Rio das Ostras inteiro está sem água! Pandemia, auxílio desemprego e a população tendo que gastar dinheiro com caminhão! Toda a população riostrense tinha que se unir e no dia da eleição não ir às urnas. Hoje é dia de cair água, e até agora nada. Eu quero água!”, implora.

No site de denúncias Reclame Aqui, a moradora Claudia Irene deixou sua consternação. “Moro no bairro Âncora, na Rua dos Girassóis, rua em frente ao UPA, e é um desrespeito o que acontece aqui. Estamos há dias sem água, só cai de um lado da rua, do outro não cai, porque são funcionários que abrem a água, e para que os moradores comprem carro pipa, a água não fica aberta direta, e não é falta d’água, porque vários bairros mais nobres como por exemplo, Costazul, não ficam sem água”, denuncia Claudia.

A moradora aponta ainda que a população deve ficar alerta neste período de campanha eleitoral. “É desrespeitoso com os eleitores que votam nos políticos, nenhum vereador também toma uma providência, aí quando começa época de turismo não falta água. O povo de Rio das Ostras, tem que começar a colocar na Justiça pelo seus direitos, e pensar bem na hora de votar, porque os políticos não estão fazendo nada nem pelos empresários que foram prejudicados pelo pandemia, nem pelo povo. Vamos ser mais inteligentes e tomar atitudes jurídicas cabíveis e obrigá-los a fazer aquilo pelo que foram eleitos”, cobra.

Cestas básicas

Outro assunto que está movimentando a cidade é a entrega das cestas básicas dos alunos que estão em casa, devido à pandemia. Ou a falta delas. Moradores denunciam que a entrega das cestas está defasada e muitos não estão recebendo os mantimentos. “Sr. Prefeito gostaria muito de entender por que nossas crianças receberam apenas 2 kits de cestas básicas… falta verba?”, questiona Tiago Sanche.

“Se o governo está pagando a sexta parcela, seria então já para a próxima sexta básica! Em cinco meses de pandemia entregaram duas cestas e cadê as outras três? Vou incluir essa postagem na próxima denúncia no Ministério Público Estadual e vou denunciar no Ministério Público Federal também. O Prefeito não está fazendo caridade e nem favor para os alunos. A verba federal é para isso”, denuncia Henrique Fuly, que afirma levar ainda o caso à Justiça se não tiver uma solução por parte do governo municipal.

Para o morador Felix Rento, a situação que a cidade vive está descuidada. “Não adianta nada essa fiscalização seletiva da prefeitura, punindo o comércio local e no feriado praias lotadas e pessoas sem máscara em todo lugar e a gente não viu nenhum fiscal na rua. Nem barreira sanitária tinha. Aí passa o feriado vem querer fechar comércio e proibir as praias de novo. Hipocrisia que fala?”, aponta o morador.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo