CidadesDestaque

Lojistas e moradores reclamam de sujeira provocada por pessoas em situação de rua

Pessoas em situação de rua e usuários de drogas são um problema antigo em Cabo Frio, na Região dos Lagos, principalmente nas áreas do centro da cidade. Essas pessoas têm causado dor de cabeça para lojistas e empresários por conta da sujeira e insegurança que deixam por onde passam. A situação é ainda mais preocupante por conta da pandemia do coronavírus e a falta de medidas de assistência social empregadas pela gestão desastrosa do prefeito Dr. Adriano Moreno.

Segundo empresários, todo dia o cenário é o mesmo: restos de comida, papelão, bitucas de cigarro, roupas, preservativos e até detritos fisiológicos são encontradas nas calçadas do Centro, em frente a lojas, restaurantes e lanchonetes. Com o mau cheiro exalando nos locais, como consequência, são os próprios comerciantes que precisam limpar a sujeira daqueles que não têm moradia.

“A prefeitura não faz nada. Tenho que lavar minha calçada de noite porque está cheio de mijo, fezes, resto de comida. Está uma bagunça! Cabo Frio está largado, às moscas. Não tem ninguém. Não tem prefeito, ação social, postura e Polícia Militar. Não tem nada. Cabo Frio está uma vergonha”, relata um comerciante.

Em vídeo publicado nas redes sociais, um morador cabo-friense cobra do atual governo para tentar resolver a situação desagradável. “Andei postando alguns vídeos sobre os moradores em situação de rua em Cabo Frio. Mau cheiro, uns usam drogas, urinam e tudo mais. Não sou político, não filiado a partido nenhum e nem nunca fui. Não tenho pretensão política. Só que nas últimas eleições o atual gestor de Cabo Frio prometeu melhorias na cidade, mas essas pessoas que administram a cidade e não são nascidos em Cabo Frio. Quem é nascido em Cabo Frio ama Cabo Frio e faz o melhor pela cidade. Está uma situação insustentável”, ressalta.

Outro ponto que preocupa e atrapalha os comerciantes em relação aos moradores de rua é a insegurança de quem ali transita. Muitos lojistas que estavam com as atividades interrompidas devido às medidas de prevenção contra o covid-19 ainda não abriram as portas, pois as calçadas em frente aos estabelecimentos vivaram ponto fixo para as pessoas de rua. Consumidores precisam passar por cima de colchões, lençóis, carrinhos de mercado repletos de sucata e papelões para conseguir entrar nas lojas.

Apesar das constantes reclamações a Prefeitura de Cabo Frio informou que os serviços sócioassistenciais da Secretaria Municipal de Assistência Social foram intensificados durante a pandemia por meio das abordagens sociais com equipes volantes, atendendo especificamente na área central 24 horas por dia.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo