DestaquePolítica

Alvo de operação do MPRJ e da Polícia Civil, Prefeito de Barra Mansa é afastado por suspeita de corrupção

O Ministério Público do Estado Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atribuição Originária Criminal da Procuradoria-Geral de Justiça (Gaocrim/MPRJ), e a Polícia Civil deflagraram na terça-feira (14) uma operação para cumprir mandados de busca e apreensão na sede da prefeitura e na Câmara Municipal de Barra Mansa, no Sul Fluminense. O principal alvo é o prefeito Rodrigo Drable (MDB), suspeito de oferecer propina para vereador para ter as contas do município aprovadas pelo poder legislativo da cidade. Além da autorização de cumprimento de 11 mandados de busca e apreensão, a Justiça determinou o afastamento do prefeito, do vereador Zélio Resende Barbosa, do presidente da câmara Paulo Afonso Sales Moreira, conhecido como Paulo Chuchu, e o coronel PM Jorge Ricardo da Silva, ocupante de cargo comissionado da Prefeitura.

A medida cautelar foi requerida pelo GAOCRIM/MPRJ, a partir de representação encaminhada pela CIAF nos autos do Inquérito Policial que apurou os crimes. Os mandados foram expedidos pelo Segundo Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio.

O MPRJ não deu detalhes sobre as investigações ou sobre o esquema criminoso supostamente cometido pelos denunciados porque o processo tem sigilo decretado.

Por meio de nota, a Prefeitura de Barra Mansa informou que o prefeito Rodrigo Drable foi acusado indevidamente de ter oferecido vantagens em votação na Câmara Municipal e que o corpo jurídico está trabalhando no caso.

Ainda segundo a Prefeitura, a denúncia foi feita por um vereador, que disse ter recebido uma proposta no valor de R$ 30 mil para votar a favor das contas do prefeito na votação que aconteceu no dia 12 maio de 2020. Na ocasião, as contas foram aprovadas com 14 votos a favor e cinco contra.

“Vale ressaltar que o vereador que fez a acusação votou contra a aprovação das contas, assim como votou contra outras matérias importantes para o município, demonstrando que se trata de uma manobra política, reiterando a prática da oposição em fazer denúncias infundadas contra a prefeitura”, diz trecho da nota.

Vices assumem funções

Em nota, a Câmara de Vereadores disse que ainda não foi informada oficialmente sobre os afastamentos, mas que, em qualquer tipo de ausência, quem assume os cargos do prefeito e presidente da Câmara são seus respectivos vices.

“Diante do cumprimento de mandados de busca e apreensão nesta casa legislativa e nos endereços do vereador Zélio Resende Barbosa e do presidente da câmara Paulo Afonso Sales Moreira, a Câmara Municipal de Barra Mansa declara que ainda não foi comunicada oficialmente do afastamento dos vereadores de suas funções públicas. Entretanto, na ausência do presidente, as funções legislativas e administrativas da casa são assumidas pelo 1º vice-presidente, Luís Antônio Cardoso, conforme regimento interno”, diz nota.

A Casa Legislativa informou ainda que as sessões agendadas para esta semana serão reagendadas para este mês ainda, para cumprir o mínimo de reuniões mensais, exigido regimentalmente.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo