CidadesDestaque

Empresário brasileiro George Kastalski empreende nos EUA

Para suportar a crise econômica enfrentada pelo Brasil, muitos brasileiros buscaram nos Estados Unidos uma alternativa para estabilizar os negócios. Por conta do tamanho do mercado e semelhanças culturais, o empresário George Kastalski Junior, de 37 anos, deixou Tamoios, no segundo distrito de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, para se lançar no país americano que representa a maior economia do mundo.

Proprietário da Shock-Tok LLC, o carioca George vive atualmente em Orlando com esposa e filha. Ele conta sua trajetória em busca de sua independência financeira e os desafios enfrentados para abrir um negócio no Brasil. “Sempre gostei de trabalhar, desde pequeno quis ter meu próprio dinheiro. Lavava os carros dos meus parentes para conseguir algum dinheiro. Sempre busquei minha independência financeira”, conta.

Técnico em administração, George Kastalski chegou a terras cabo-frienses em 2005 e incentivado pelo pai inaugurou sua primeira loja, a Central de Parafusos.  “Em 2005 fui morar em Cabo Frio com o meu pai, um senhor com grande conhecimento em negócios. Foi ele quem me incentivou abrir minha primeira loja. Com apenas vinte e dois anos de idade abri minha primeira loja no seguimento da construção civil, uma loja com uma grande variedade de produtos e artigos para o lar, foi uma grande sucesso. A loja logo ficou conhecida como a ‘loja que tem tudo’. O nome da loja era Central de Parafusos. Ficava ao lado da padaria Unamar. Um local de grande fluxo de pessoas. Um excelente ponto comercial”, disse.

Com clientela formada e sucesso nas vendas, George queria mais e resolveu abrir outra loja com amplo espaço e mais variedades. Desta vez, o empresário fechou sociedade com o irmão Rogger Kastalski, na época com 18 anos. “Foi no ano de 2009 que dei baixa no meu primeiro CNPJ para poder abrir outra loja maior e com mais variedades e, agora, com um sócio também. O nome do meu novo sócio era Rogger Kastalski, irmão por parte de pai. Na época, ele tinha apenas 18 anos de idade, não sabia onde estava se metendo”, avaliou George.

A nova loja, que fica a alguns metros da antiga, contou com um espaço maior, mais produtos e mais funcionários para poder atender os clientes. Mas George afirma que com a expansão vieram grandes responsabilidades. “Nessa loja chegamos a ter mais de 5.000 itens. Uma grande variedade de parafusos, ferramentas manuais e elétricas, conexões, pregos etc. Com essa nova loja, a nossa jornada de trabalho parecia que não ia acabar. Fechávamos a loja às 18h e só conseguimos sair de lá às 20h. Conferindo mercadoria, fazendo cadastro no sistema e colocando preço em tudo. Foi muito boa à experiência de poder administrar um negócio de grandes proporções. Coloquei em prática todo o conhecimento que adquiri no meu curso Técnico de Administração. A cada dia fui aprendendo mais sobre o ramo da construção”.

Em 2014, o Brasil iniciou uma crise econômica, também conhecida como a grande recessão brasileira, que levou a um recuo no produto interno bruto (PIB) por dois anos consecutivos. George destaca a dificuldade vivida no período.

“No ano de 2014 tivemos uma grande crise econômica no Brasil, fazendo com que nossas vendas diminuíssem drasticamente. Tivemos que cortar alguns funcionários e reduzir nossos custos mensais, para poder superar essa crise que estava batendo na nossa porta”.

O empresário sabia que lidar com o fracasso é um dos pontos cruciais para manter uma empresa. Em viagem de férias para os Estados Unidos em 2014, George Kastalski identificou o país como uma nação próspera para os novos negócios. “Nesse mesmo ano fiz minha primeira viagem de férias aos EUA, foi aqui tive minha primeira visão do que era um país desenvolvido, logo já fiz planos de voltar no próximo ano”.

Com a piora da economia brasileira, George entendeu que não existe fracasso, mas sim recomeços. Em 2018, o empreendedor arrumou as malas e se aventurou no mercado norte americano. Ele ressalta que a iniciativa tem até hoje gerado bons frutos. “As coisas no Brasil não estavam indo muito bem, foi então que no ano de 2018, depois de 13 anos como empresário no Brasil, vendemos a loja. Vim morar nos EUA e, como bom empreendedor que eu sou, já foi logo abrindo minha empresa. Desde 2018, administro a minha empresa aqui, que se chama Shock-Tok LLC, focada em reforma e pintura, tanto comercial quanto residencial. Um mercado novo pra mim, que a cada dia aprendo mais e mais”, finalizou.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo