Turismo

Uruçuca, um destino exuberante para amantes do ecoturismo na Bahia

Localizado no sul da Bahia, o município de Uruçuca é um dos destinos que faz parte do litoral da Costa do Cacau e segue sua tradição na produção de cacau assim como outras fontes de cultivo. Envolta por praias, cachoeiras e fazendas, Uruçuca é destino certo para os fãs do ecoturismo.

Surgida do povoado Água Preta do Mucambo, assim chamado por ser banhado por águas escuras, a cidade abriga a terceira maior biodiversidade do mundo, concentrada no Parque Estadual da Serra do Conduru. Na cidade também fica a Área de Proteção Ambiental Itacaré/Serra Grande. Dentre as opções de lazer junto à natureza, destacam-se a Cachoeira do Zé Maria e o Poço do Robalo, que garantem banhos relaxantes em uma região rodeada pela Mata Atlântica.

Uruçuca significa Águas Escuras, porém segundo a história e a popularização, o nome significa Uru = abelha, graças a grande quantidade de abelha da cidade, e Çuca = do açúcar pelo qual as abelhas gostam. A 410 km da capital Salvador, seguir pela BR-324 até o entroncamento da BR-101, que leva até Uruçuca.

Entre os inúmeros atrativos estão a Fazenda São Tomé com banho de mar e, também em uma pequena lagoa existente no local. Tomar banho na Cachoeira do Zé Maria e Poço do Robalo. Conhecer e passear pela tranquila Vila de Serra Grande, banhar-se na represa, a que se atribui propriedades afrodisíacas. Apreciar e adquirir artesanato local. Entre seus filhos ilustres estão poeta e cronista Jorge Medauar e o comentarista esportivo e radialista Armando Oliveira.

 Povoado de Serra Grande e Represa

Serra Grande conserva 20 km de praias primitivas em meio a águas claras e mornas, que dividem a paisagem com as ainda remanescentes fazendas de cacau. Existem várias vilas: a Vila Alta, no alto do morro, onde se encontram os principais comércios e atividades culturais, e as Vilas Praianas, no Pé de Serra e na Praia do Sargi, onde ficam hotéis, pousadas e casas para temporada

Como chegar: A principal rota para chegar à Serra Grande é um imenso corredor verde, a BA-001. Chegando na cidade, do mirante, se tem um visual fantástico, dá para ver as praias de Pé de Serra e Sargi e o litoral norte de Ilhéus.

Atualmente o distrito de Serra Grande ocupa a faixa litorânea do município de Uruçuca entre os rios Tijuipe e Sargi. Na Vila de Serra Grande passeia-se tranquilamente e pode-se apreciar e adquirir as belas peças do artesanato local. A praça central é um convite para o bate-papo de fim de tarde acompanhado de uma boa tapioca.

As águas da Represa de mesmo nome, conhecida por suas propriedades terapêuticas (há quem diga que são afrodisíacas) convidam para um bom mergulho e também para uma roda de samba nas tardes dos finais de semana.

A região é propícia à prática de Montanhismo, EcoTurismo, Traking, Turismo de Aventura, Montain Bike e é largamente utilizado em pesquisas e em estudos com finalidade de preservação e reestruturação da Mata Atlântica. É nas serras do Parque do Conduru que os rios de Contas e Almada recebem as chuvas que os alimentam e formam a Lagoa Encantada que também vale a pena visitar

 Cachoeira do Zé Maria e Poço do Robalo

Poços intercalados por pequenas quedas d’água são uma constante ao longo do Rio Tijuipinho, no município de Uruçuca. Destaque para a Cachoeira do Zé Maria e o Poço do Robalo.

Trilhas ladeadas de Mata Atlântica levam a cachoeiras e lagos, onde a melhor pedida é aproveitar a natureza, se banhando em lagos formado pelas cascatas.

No povoado, a cerca de 80m do nível do mar, descortina-se uma vista deslumbrante do trecho do litoral que vai até a cidade de Ilhéus. Tranquilidade é a palavra de ordem neste lugarejo rústico, cercado de extensos coqueirais, riachos e cachoeiras.

As Praias de Uruçuca

PRAIA BARRA DO TIJUÍPE – Localizada no distrito de Serra Grande, a Praia do Barra Tijuípe é pouco frequentada, mas é uma excelente pedida para banho de mar ou rio, pois está localizada na foz dos rios Tijuípe e Tijuipinho. Ela conta com manguezais que favorecem a pesca.

PRAINHA – Formada por uma pequena enseada, cercada de recifes, a praia de areia fina e águas calmas é conhecida por Prainha. Na maré baixa revela pequenas piscinas naturais e no horizonte avista-se a cidade de Ilhéus. O acesso para a trilha da Prainha está a pouco mais de 1km da Praça de Serra Grande, na Estrada Parque BA 001, no trecho Ilhéus-Itacaré. Uma pequena queda de água doce é um bom refresco depois dos 20 minutos de descida pela trilha.

PRAIA DO POMPILHO – A praia é boa para banho em qualquer das marés, mas atenção nas proximidades da Foz do Rio Tijuípe onde o mergulho pode ser perigoso. A trilha de acesso a praia do Pompilho encontra-se a 2 Km da praça da Vila de Serra Grande, no sentido da Barra do Tijuípe. Íngreme e sinuosa, boa para a prática de tracking, a trilha percorre a encosta por aproximadamente 20 minutos, atravessando a mata e chegando a bela praia de areia grossa e ondas fortes. Um traço singular desta praia é a lagoa próxima ao mar. Para os mais curiosos, uma trilha paralela a do Pompilho leva a um mirante de onde se vislumbra toda a extensão da praia até a Barra do Rio Tijuípe.

PRAIA DO PÉ DE SERRA – Com areia fina e águas calmas, excelente para banho, a praia do Pé de Serra agrada por acolher diversas opções de lazer. Com grande extensão é ótima para caminhadas e para a prática de esportes à beira-mar como frescobol. Para os mais agitados oferece trechos bons para o surf e também voos de parapente. Algumas poucas cabanas se espalham pela praia e são bastante frequentadas por moradores da região do entorno da Vila oferecendo uma oportunidade de integração entre visitantes e locais. O vai e vem das jangadas que pescam a cerca de 5 milhas da costa, bem perto dos recifes também atraem os olhares de todos que passam por ali.

Como chegar: Através da BA-001 no sentido Ilhéus – Itacaré, após percorrer 30 km avista-se à direita a Vila de Serra Grande. Vindo de Itacaré o trajeto a ser percorrido até chegar ao Pé de Serra é de 36 km.

PRAIA SARGI – A praia do Sargi tem 4,5km de extensão sendo também ótima para banho e caminhadas. Quase deserta, plana, com muitos coqueirais e sem pedras a praia é o local onde deságua o Rio Sargi, nome dado por este ao vilarejo. A praia é um local privilegiado para se observar a chegada das jangadas, principalmente a partir das 17 horas. A pesca é feita a cerca de 5 milhas da costa, onde as jangadas param perto dos recifes, área de vermelhos, ciobas, cavalas, sororocas, aricós, beijupirás, arraias, meros e pampos. É comum encontrar baleias e golfinhos, principalmente a partir de setembro.

 Estação ferroviária de Água Preta

A linha-tronco Ilhéus-Itabuna foi aberta em 1910 em seu primeiro trecho, por investidores ingleses da The State Of Bahia South Western Railway Company Limited, com a idéia de alcançar Conquista (Vitória da Conquista). O primeiro ramal, o de Água Preta (Uruçuca), que partia da estação de Rio do Braço, foi aberto ao tráfego em 1914 e estendido até Poiri em 1931. Em 1918 um outro ramal tem iniciada a sua construção, estendendo-se até Itajuípe, aonde chegou em 1934. Foram às máximas extensões da ferrovia, que jamais se comunicou com outras do estado da Bahia ou com a Bahia-Minas, apesar de diversos projetos nesse sentido que jamais saíram do papel. Em 1950, os ingleses repassaram a estrada ao Governo, que mudou o nome para E. F. de Ilhéus. A estrada jamais chegou a Conquista, pelo que se diz, pelo fato de os ingleses já estarem satisfeitos com o que arrecadavam somente com a linha já existente. Em 1963, já estava decadentíssima a ferrovia, que em 1965 já não mais funcionava.

Água Preta foi ponta de linha até 1931, quando a ferrovia teve o tráfego aberto até Poiri. A estação e o ramal foram fechados pelo RI-3149 de 27 de maio de 1964. Em 2005 o prédio da ex-estação servia de sede para a Câmara de vereadores da cidade.

Estrada do Chocolate

Situada no trecho da BA-262 que liga Ilhéus e Uruçuca, a Estrada do Chocolate tem por objetivo possibilitar aos turistas vivenciar as etapas de produção do cacau e do chocolate por meio de visitas a fazendas tradicionais e fábricas, além de permitir o contato com um rico acervo histórico e cultural da região.

Cercada pela Mata Atlântica, a Estrada do Chocolate lembra ainda os cenários da obra do escritor Jorge Amado, como “Terras do Sem-Fim” e “Gabriela Cravo e Canela”. O primeiro descreve o período de formação da zona cacaueira, com a sede pelo ouro do cacau, a luta pela posse da terra, o estabelecimento das plantações e a construção das pequenas cidades nos arredores de Ilhéus, no começo do século 20.

O segundo é um retorno do autor ao chamado ciclo do cacau, retratando o universo de coronéis, jagunços, dentre outros personagens que fizeram parte da sociedade cacaueira.

Fazenda Capela Velha

A centenária fazenda Capela Velha tem vasto potencial agrícola e turístico. Leva o nome devido à antiga construção de 1923 e oferece aos visitantes uma verdadeira aula sobre a cultura cacaueira, desde o plantio da semente, secagem até se transformar em vários deliciosos produtos. Basta agendar uma visita e aproveitar o dia numa verdadeira experiência com sabor de chocolate.

 Fazenda São Tomé

A fazenda recebe visitantes com programação antecipada ou através de agências de viagens e turismo. Banho de mar e também em uma pequena lagoa existente no local. Pode-se ainda fazer caminhadas na praia e almoçar no local.

Como chegar: BA-001 no sentido Ilhéus/Itacaré, após 31 km, na praia de Pé de Serra.

Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição

A Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição é uma construção em estilo moderno com pintura da Nossa Senhora da Conceição, padroeira do município, sempre pintada com as cores branca e azul, características da imaculada Conceição. A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição em Uruçuca (BA) pertencente à Diocese de Ilhéus, celebra tradicionalmente homenagem a Nossa Senhora da Conceição.

Os festejos em homenagem a Nossa Senhora da Conceição surgiram no contexto do catolicismo popular tradicional, fruto de uma religiosidade humana festiva, onde o sagrado orienta os habitantes da região, inspirando sentimentos de confiança, força e coragem.

Ao longo do tempo, os festejos são realizados com novenas, pregações e procissões que passam pelas ruas e praças da região, fortalecendo os bons sentimentos.

A celebração festiva da padroeira é um acontecimento de extrema importância, que sensibiliza a todos, conservando a sua identidade por meio da manutenção dessa tradição que serve de referência ao município e enche de sentido o cotidiano dos uruçuquenses.

Vale destacar que as comemorações envolvendo o dia do padroeiro fazem parte do calendário turístico de Uruçuca, sendo um evento que atrai fiéis das mais diversas regiões.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo