Polícia

SUSPEITOS DE IRREGULARIDADES EM CONTRATO

Justiça bloqueia bens de ex-prefeito de Nova Friburgo e mais nove pessoas

A Justiça Federal determinou o bloqueio de quase R$ 12 milhões do ex-prefeito de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, Renato Bravo e de outros nove suspeitos de envolvimento em irregularidades na contratação de uma empresa que fornecia alimentos para o Hospital Raul Sertã, em 2018.

Entre os suspeitos estão dois ex-secretários de Saúde, Suzana Oliveira de Menezes e o atual vereador Cristiano Huguenim; a empresa Global Trade Indústria de Alimentação Eireli e outros seis envolvidos.

A suspeita é de que a empresa foi contratada sem licitação, em contratos emergenciais questionados pela Justiça e pelo Ministério Público Federal. A decisão do bloqueio cabe recurso.

Os contratos com essa empresa já foram alvo de uma CPI na Câmara de Vereadores em 2019, que também apontou irregularidades.

Em nota, o ex-prefeito Renato Bravo disse que ainda não foi notificado da decisão e que vai se manifestar após uma análise criteriosa do processo.

O ex-secretário de saúde e atual vereador Cristiano Huguenim (MDB) informou que vai se defender e que o processo não corre na esfera criminal.

A empresa Global Trade Indústria de Alimentação Eireli informou que todos os contratos feitos com a prefeitura foram elaborados dentro da lei e que vai apresentar os fatos na defesa do processo.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo