Geral

Sivuca completaria 91 anos

No próximo dia 26, o mestre da sanfona Sivuca completaria 90 anos. Também compositor e arranjador, Severino Dias de Oliveira nasceu na cidade de Itabaiana, em 1930. Lembrando a data, alguns músicos e amigos homenagearam o mestre da Paraíba, que passeou com sua sanfona pela bossa-nova, jazz, forró, choro, baião, maracatu, frevo. Assista aos vídeos abaixo.

Sivuca fez sucesso pelo país com seus arranjos que disseminaram a cultura nordestina pelo mundo. Ao lado de sua esposa e também cantora, Glória Gadelha, compôs um de seus maiores sucessos, “Feira de Mangaio”, eternizada na voz de Clara Nunes. Sivuca morreu, aos 76 anos, em 2006, vítima de um câncer de laringe, o qual se tratava desde 2004.

Como compositor, arranjador, instrumentista, o mestre da sanfona participou de mais de 200 discos de gêneros musicais diferentes como bossa nova, forró, choro, baião, maracatu, frevo, entre outros.

 

HISTÓRIA

Sivuca ficou conhecido como compositor e acordeonista (sanfoneiro). Contribuiu para o enriquecimento da música brasileira e recebeu reconhecimento internacional por seus trabalhos que incluem choros, frevos, forrós e outros ritmos.

Severino Dias de Oliveira nasceu em uma família de sapateiros e agricultores em Itabaiana, pequeno município da Paraíba. Começou a tocar sanfona aos nove anos de idade, em feiras e festas populares. Aos 15, mudou-se para Recife, onde trabalhou na Rádio Clube de Pernambuco e recebeu o apelido de Sivuca.

Em 1948 tornou-se aluno do maestro Guerra Peixe e foi contratado pela Rádio Jornal do Comércio. Dois anos depois, em parceira com Humberto Teixeira, gravou o seu primeiro disco, pela Continental, que incluía a música “Adeus, Maria Fulô”.

Em abril de 1955, Sivuca foi morar no Rio de Janeiro. Durante três anos foi artista contratado da Rádio e TV Tupi.

Em 1958, depois de várias apresentações na Europa, decidiu morar em Lisboa. No ano seguinte foi trabalhar em Paris, onde permaneceu quatro anos.

Em 1964 Sivuca mudou-se para Nova York, onde assumiu a direção musical das gravações da cantora africana Miriam Makeba. Excursionou pelo mundo e gravou na Suécia e no Japão. Retornando aos EUA criou músicas para filmes e realizou projetos com músicos como Hermeto Pascoal e Paul Simon, entre outros.

Sivuca foi casado com a compositora Gloria Gadelha, com quem desenvolveu um vasto trabalho, com destaque para o forró “Feira de Mangaio”. Outras parcerias bem-sucedidas foram “João e Maria”, com Chico Buarque e “No Tempo dos Quintais” e “Cabelo de Milho”, ambas com Paulo Tapajós.

Após lutar contra um câncer na laringe, Sivuca morreu aos 76 anos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo