Esportes

Rayssa Leal fica com o bronze no Mundial de Skate Street, em Roma

Rayssa Leal, de apenas 13 anos, colocou o skate brasileiro no pódio do Mundial de Street, em Roma, na Itália, com a terceira colocação. Em duas finais com alto nível de skate, o feminino ainda teve Pâmela Rosa na quarta colocação e Leticia Bufoni em quinto lugar. As três ficaram separadas por nove décimos na classificação geral: 13,47 para Rayssa, 13,44 para Pâmela e 13,36 para Leticia Bufoni. No masculino, Kelvin Hoefler ficou com o quinto lugar.

“Tenho de agradecer a Deus, aos meus pais e aos meus patrocinadores porque se não fossem eles eu não estaria aqui. Nesses últimos 40 dias estivemos todos da equipe juntos, treinando bastante. Estou feliz porque tentei duas manobras, caí, mas consegui voltar e estar no pódio. Fico feliz que o nível do skate feminino está aumentando cada vez mais. Isso me motiva em todas as sessões a estar cada dia melhor. Sempre foi um sonho estar nas Olimpíadas e agora vou poder realizar isso no próximo mês. Não tenho palavras para agradecer a todo mundo. Dar o meu melhor na pista, treinar bastante, tanto o físico quanto o psicológico”, comemora Rayssa.

As finais do Mundial de Street seguiram o formato olímpico, com duas voltas de 45 segundos e cinco tentativas de manobra. A pontuação de cada skatista é composta pela somatória das 4 maiores notas.

Na final feminina, o pódio teve disputa acirrada entre as japonesas e as brasileiras. A definição ficou para a quinta tentativa de manobra de Rayssa Leal – última a se apresentar em cada rodada por ter avançado como primeira na semifinal. A skatista somou 13.47 pontos no total, ficando com o terceiro lugar do pódio.

As japonesas Aori Nishimura (14.73) e Momiji Nishiya (14.17) ficaram com a primeira e a segunda colocação, respectivamente.

No masculino, Kelvin Hoefler somou 33.71 pontos, com a quinta colocação. O primeiro lugar do pódio ficou com o japonês Yuto Horigome, seguido pelo norte-americano Nyjah Huston (2º) e pelo também japonês Sora Shirai (3º).

 

Estreia e esperança

O skate é uma das novidades no programa olímpico de 2021. A modalidade vai estrear nos Jogos de Tóquio. Haverá um total de 80 atletas (40 em cada naipe, 20 para cada modalidade). Com a qualidade do elenco, o Brasil tem chances reais de brigar por medalhas nas quatro competições, no street masculino e feminino e no park masculino e feminino. O torneio na capital japonesa será no Parque Urbano de Ariaque, na mesma região em que serão disputadas as provas de ciclismo BMX.

O Brasil fechou as classificatórias com o limite máximo de 12 skatistas classificados. No Street, a Seleção Brasileira Olímpica será formada por Pâmela Rosa, Rayssa Leal, Leticia Bufoni, Kelvin Hoefler, Felipe Gustavo e Giovanni Vianna. No Park, o time brasileiro terá Luiz Francisco, Pedro Barros, Pedro Quintas, Dora Varella, Isadora Pacheco e Yndiara Asp.

A estreia do skate nas Olimpíadas será com o Street masculino, dia 25 de julho. No dia seguinte, será a vez do Street feminino. O Park fecha a participação do skate nos dias 4 e 5 de agosto. Todas as disputas serão no Ariake Urban Sports Park.

 

Investimento federal

Dos 12 atletas selecionados, dez são integrantes atualmente do Bolsa Atleta, programa de patrocínio individual do Governo Federal Brasileiro. Na modalidade Park, 100% são contemplados. Cinco são integrantes da categoria Pódio, a principal do programa, reservada a atletas colocados entre os 20 melhores do mundo, e Pedro Quintas pertence à categoria Internacional.

No Street, Pâmela, Leticia, Kelvin e Felipe Gustavo fazem parte da categoria Pódio. Rayssa só não integra o Bolsa Atleta porque, aos 13 anos, ainda não tem a idade mínima exigida, de 14 anos. Giovanni foi indicado pela Confederação Brasileira de Skate para integrar a próxima lista da Bolsa Pódio.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo