CidadesDestaque

Profissionais da Educação protestam contra retorno das aulas presenciais em Maricá

Profissionais da Educação protestaram, no início da noite desta quarta-feira (10), em frente sede da prefeitura de Maricá, contra o retorno das aulas presenciais na cidade. O protesto que foi batizado de ‘AULAS PRESENCIAIS SÓ COM VACINA’ acendeu 250 velas representando cada morte ocasionada pelo novo coronavírus na cidade.

De acordo com representantes dos sindicatos presentes (Sepe, Sinpro e Sindicato dos Profissionais da Educação), a categoria declarou greve contra o retorno das aulas. Para eles, a retomada pões em risco a vida de alunos e profissionais ligados a Educação. Os manifestantes afirmam que a volta das aulas seria precoce já que estamos em plena vacinação. Além disso, ressaltam que a Administração Pública não tem um protocolo seguro para o retorno das aulas.

Retorno

A Prefeitura de Maricá anunciou, no último dia 4 de março, o retorno presencial das aulas na rede municipal de ensino. A data prevista para o início da modalidade híbrida é 5 de abril. A decisão foi tomada pelo Gabinete de Ação para a Covid-19.

De acordo com a Prefeitura, a decisão foi tomada pelo Gabinete de Ação para a Covid-19. O planejamento prevê que, para o retorno às aulas presenciais, os pais ou responsáveis de alunos sem comorbidades precisarão assinar um termo específico. Esses devem ficar atentos ao calendário montado para o retorno. Já os estudantes que os pais ou responsáveis não autorizarem o retorno ou que possuam comorbidades irão permanecer no ensino exclusivamente remoto. Haverá álcool 70 nas salas de aula, em dispensers nas áreas de circulação e sabão nos banheiros e refeitórios. As escolas também estão equipadas com termômetros e todos os alunos receberão máscaras de tecido.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo