Polícia

Policial atira durante protesto de mulheres diante de delegacia em Paraty

Uma manifestação organizada por mulheres foi reprimida com dois tiros em frente à delegacia da Polícia Civil de Paraty, na Costa Verde do Rio, na tarde desta segunda-feira (10). O autor dos disparos é um policial civil.

Cerca de cinquenta mulheres faziam uma manifestação pacífica diante da entrada do prédio quando o escrivão saiu armado de fuzil e efetuou dois disparos direcionados ao chão. Nenhuma pessoa se feriu e as manifestantes, apesar de assustadas, continuaram no local.

A manifestação começou às 14 horas, reunindo certa de 100 mulheres em frente à Câmara dos Vereadores da cidade, com o objetivo de pressionar o poder público pela criação do Observatório de Feminicídio de Paraty. O projeto, em votação naquela tarde, foi aprovado. À essa reivindicação central, uniram-se outras pautas, como o melhor atendimento para os casos de violência contra a mulher e a punição de um homem acusado de agressão e tentativa de estupro conta duas mulheres. O caso aconteceu no último dia 3 de maio na praia de Antigos, na região da comunidade do Sono, a cerca de 35 km de Paraty.

Depois do ato em frente à Câmara, o grupo de manifestantes seguiu em caminhada até a porta da delegacia entoando palavras de ordem. Quando algumas mulheres começaram a colar cartazes na porta de entrada, o policial saiu diante do prédio e efetuou os disparos.

Segundo o delegado da Polícia Civil de Paraty, Marcelo Haddad, o policial responsável pelos tiros de fuzil em frente à delegacia colocou em risco os manifestantes e foi afastado de suas funções.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil do Rio de Janeiro afirma que a 167ª DP (Paraty) instaurou um procedimento para apurar a conduta do policial. “O delegado titular da unidade deve se reunir com as representantes do movimento para ouvir e conversar sobre a manifestação”, respondeu em nota.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo