DestaquePolícia

Polícia Federal combate fraudes em hospitais federais do Rio

Policiais federais cumpriram na quinta-feira (11) sete mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro contra suspeitos de fraudar licitações em hospitais federais da cidade. A operação Ossobuco investiga indícios de direcionamento de processo licitatório e superfaturamento em contratos firmados com empresas responsáveis pelo fornecimento de materiais de neurocirurgia e ortopedia. Os dois hospitais sob investigação são o Hospital dos Servidores e o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Em comunicado sobre a operação, a PF detalhou ter apurado indícios de direcionamento e superfaturamento em contratos firmados com empresas responsáveis pelo fornecimento de equipamentos voltados para área de saúde. Sem citar os nomes das unidades, a PF informa que foram verificados indícios de direcionamento em procedimentos licitatórios em hospital.

Segundo a Polícia Federal, os contratos sob suspeita de irregularidades têm o valor de R$ 3,5 milhões, mas os investigados são suspeitos de movimentar mais de R$ 100 milhões em suas contas bancárias, inclusive através de saques milionários em espécie.

Os alvos são investigados pelos crimes de organização criminosa, peculato, fraudes em licitação e lavagem de dinheiro.

Um dos alvos da operação foi a residência da proprietária da empresa Technicare, da empresária Terezinha Farag de Oliveira. A empresa já era citada em denúncia do Ministério Público Federal como uma das empresas que atuavam no cartel liderado por Oscar Iskin.

Segundo o MPF, duas empresas que foram usadas como “laranjas” no esquema têm como sócias as filhas da empresária Terezinha Farag de Oliveira.

A PF informou que a ação contou com a participação de 30 policiais federais que cumprem sete mandados de busca e apreensão na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, informou a PF.

 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo