DestaqueTurismo

Paraty celebra 354 anos

Patrimônio Histórico e Natural da Humanidade pela Unesco, a cidade de Paraty, na Costa Verde do Rio, completa 354 anos de emancipação, neste domingo (28). Devido a pandemia do Covid-19, o aniversário será comemorado através de transmissões online pela página da Prefeitura de Paraty no Facebook.

A programação começou na sexta-feira (26), às 19h, com o Culto de Ação de Graças pelos 354 anos de emancipação política da cidade de Paraty, na Casa da Cultura de Paraty. Neste sábado (27), a partir das 19h, a Câmara Municipal, presidida pelo vereador Valceni Teixeira, o Sanica, realiza uma Sessão Solene.

No domingo (28), os festejos começam às 10h com a Celebração do aniversário da Capitania dos Portos e lançamento da Sociedade Amigos da Marinha de Paraty (SOAMAR), na Casa da Cultura de Paraty.

Mais tarde, às 17h, acontece a apresentação de Orquestra Sinfônica na Igreja da Matriz. Encerrando a programação, às 19h30, acontece a Missa Solene.

A Prefeitura reforça que, este ano, em razão da pandemia, haverá limitação de público nos locais com celebração e não terá o tradicional bolo de aniversário da cidade.

Belezas que encantam visitantes

Paraty vai muito além de belas praias cercadas pela intensa Mata Atlântica. A cidade oferece aos visitantes um rico turismo histórico, sempre permeado por belezas naturais. Fundada oficialmente em 1667, Paraty divide a atenção dos visitantes entre prédios coloniais e natureza exuberante.

Paraty é muito mais que apenas uma pequena cidade histórica. Costeada por montanhas cobertas do denso verde da mata atlântica, a cidade é rodeada de Parques e Reservas Ecológicas, fazendo da região uma das mais preservadas do Brasil. Há mais de 60 ilhas e 90 praias em Paraty, boa parte delas acessível somente de barco ou trilhas. As praias de Trindade são uma atração à parte: em fevereiro de 2009, o governo federal delimitou a Praia do Meio, em Trindade, como parte integrante do Parque Nacional da Serra da Bocaina.

Outro aspecto de relevância no setor é a prática de esportes de aventura. Nas trilhas de Paraty pode-se caminhar por dias a fio. O roteiro mais tradicional entre os amantes da caminhada é a Travessia da Juatinga, que costeia toda a Península da Juatinga, em trilhas de servidão que datam do tempo dos escravos e passam por diversas comunidades caiçaras, responsáveis pela hospedagem e alimentação dos turistas. Dentre outras modalidades pode-se praticar a canoagem oceânica, a vela, o surf e o mergulho autônomo.

As águas calmas, cristalinas e sempre tépidas da Baía da Ilha Grande são ideais para essa prática, atraindo grande número de praticantes. Várias operadoras de mergulho oferecem seus serviços na cidade e nas marinas, atendendo não apenas às escolas de mergulho, mas também a turistas interessados em conhecer a Parati subaquática. A canoagem também é idealmente praticada nas águas calmas da baía, destacando os roteiros de mais de um dia que exploram a Baía da Cajaíba e o Saco do Mamanguá.

Já o surfe é praticado na costa aberta ao mar, que se inicia na ponta da Juatinga e engloba as praias da Sumaca, Martin de Sá, Antigos, Sono e todas da Vila de Trindade. A rede hoteleira é formada de pequenas pousadas, muitas delas situadas no Centro Histórico.

Centro Histórico que é o local em que as pessoas caminham, pois lembrem-se, não é permitido carro por lá. Tem um conjunto arquitetônico testemunho do período colonial, sendo um dos mais bem preservados conjuntos desse estilo representado pelas casas com janelas e portas coloridas;

O Caminho do Ouro, cujos trechos são registrados como Sítio Arqueológico pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), construído entre os séculos XVII e XIX, a partir de trilhas dos índios guaianazes. O mesmo era uma das variantes da Estrada Real, que ligava o Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, na época do chamado “Ciclo do Ouro” brasileiro. Atualmente, na área do Parque Nacional da Serra da Bocaina há trechos preservados, envoltos pela exuberância da Mata Atlântica; O Forte Defensor Perpétuo, construído para defender e proteger Paraty; e hoje em dia tombado pelo IPHAN, esse forte foi o núcleo inicial do povoado;

O Saco de Mamanguá, local de beleza cênica e riqueza ambiental de Paraty, é uma dos mais desejadas para conhecer. Porém, para ter acesso ao local é necessário a ajuda de um guia ou uma agência de passeios especializada;

Paraty Mirim, cujo conjunto arquitetônico possui especial interesse cultural, além de também ser registrado como sítio arqueológico pelo IPHAN, tem uma paisagem natural maravilhosa e abriga a mais antiga igreja da cidade e possui uma mata extensa ao seu redor;

O Parque Nacional da Serra da Bocaina localiza-se na divisa de São Paulo e Rio de Janeiro, tem uma área com 134 mil hectares e uma grande biodiversidade, neste local há várias atrações turísticas naturais;

Além dos locais citados há muitos outros com valor arquitetônico, artístico, paisagístico, natural e cultural. Os lugares para saborear e experimentar um pouco da gastronomia de Paraty são os cafés, bares, restaurantes e bistrôs, onde você encontrará doces típicos da cidade como massapão, manuê de bacia e as próprias criações do local, a gastronomia tem como base os pescados e frutos do mar, priorizando os produtos locais produzidos pelas comunidades tradicionais e agricultura orgânica, projeto priorizado na iniciativa da cidade criativa da gastronomia da UNESCO.

Como chegar a Paraty

Para chegar em Paraty vindo do Rio de Janeiro é necessário apenas seguir pela estrada Rio-Santos (BR-101) até o acesso de Paraty. Vindo de São Paulo venha pela rodovia Ayrton Senna-Carvalho Pinto (SP-070), no trecho de São José dos Campos pegue a rodovia dos tamoios (SP-099) que é duplicada até o final do trecho de planalto, daí siga a Rio-Santos e prossiga até Paraty, caso não venha de nenhum desses lugares citados anteriormente veja e procure a melhor opção, lembrando que tem ônibus para fazer essas viagens. A melhor época para visitar e conhecer Paraty é entre abril e maio pois as diárias nesse período são mais baixas, caso vá para algum evento é melhor reservar pousadas e ingressos antecipadamente. Existe também o turismo comunitário no qual você vivencia o modo de viver nas comunidades tradicionais desta cidade, sendo eles: quilombolas, indígenas e caiçaras.

Flip

Realizada desde 2003, a Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) conta com a presença de escritores nacionais e estrangeiros que participam de palestras e debates nos prédios históricos ou em tendas armadas nas ruas.

A cada ano, a FLIP é dedicada à memória de um grande escritor já morto. Em 2003, o homenageado foi Vinícius de Moraes; em 2004, Guimarães Rosa; em 2005, Clarice Lispector; em 2006, Jorge Amado; em 2007, Nelson Rodrigues; em 2008 Machado de Assis; em 2009 Manuel Bandeira; em 2010, Gilberto Freyre e, em 2014, Millôr Fernandes.

Vários outros eventos culturais também têm Paraty, como: Festival da Pinga; Festa do Divino Espírito Santo; Festa de Nossa Senhora dos Remédios; Festa de Santa Rita; Parati em Foco; Mostra Rio-São Paulo de Teatro de Rua; Festival de Música Sacra; Festa do Divino Espírito Santo (patrimônio cultural do Brasil); Festival da Cachaça; Encontro de Teatro de Rua; Carnaval; Festival Internacional de Fotografia; Encontro de Ceramistas; Festival Mimo de música; Bourbon Festival; Tollosa e Paraty Eco Festival.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo