DestaquePolícia

Operação contra fraude mira ex-prefeito de Seropédica

Esquema que teria desviado R$ 4 milhões dos cofres públicos

Policiais civis da Delegacia de Defraudações (DDEF) realizam, na segunda-feira (03), a operação “Pregão” para desarticular um esquema fraudulento junto à Prefeitura de Seropédica, na Baixada Fluminense. Os agentes cumpriram 26 mandados de busca e apreensão contra cinco indiciados e 14 investigados e suspeitos de desviarem cerca de R$4 milhões por meio de contratos irregulares.

Entre os indiciados estão um ex-prefeito de Seropédica, Anabal Barbosa de Souza, sua mulher, que foi secretária de Educação, Cultura e Esporte do município. A ação também acontece na casa do filho dele, Wagner Oliveira de Souza, apontado pelas investigações da Delegacia de Defraudações (DDEF) como o operador do esquema fraudulento. Na casa dele, os agentes apreenderam duas armas e uma quantidade de dinheiro que ainda não foi calculada.

Segundo as investigações, entre fevereiro e setembro de 2017, foram firmados 14 contratos com altos valores e dispensa de licitação, no momento em que o município estava em estado de calamidade financeira decretado. A maioria das empresas contratadas apresentava atividades principais totalmente incompatíveis com os serviços e produtos contratados.

Calcula-se que o valor total desviado gire em torno de R$ 4 milhões, quantia que levou não só ao agravamento da calamidade financeira, como repercutiu diretamente nos serviços públicos prestados. Entre as consequências estão falta de merenda nas escolas municipais e falta de insumos hospitalares.

Todos os envolvidos responderão por crime de peculato, corrupção passiva, tráfico de influência, irregular dispensa de licitação e organização criminosa.

 

Flagrante

Em dezembro de 2020, o atual prefeito Professor Lucas fez um vídeo após receber denúncias, onde flagrava a saída de um caminhão com documentos da Prefeitura Municipal de Seropédica (PMS). Anabal Barbosa aparecia nas imagens.

No vídeo, o Professor Lucas disse que acionou a Polícia Militar e acompanhado de seus advogados, impediu que os documentos fossem retirados da PMS e devolvidos ao local de origem.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo