Geral

O adeus precoce a Luiz Carlos Araújo, de “Carinha de Anjo”

Gentil, brincalhão e amigo. Em cena, extremamente talentoso. Assim era o ator Luiz Carlos Araújo, encontrado morto aos 42 anos, no apartamento onde morava, em São Paulo. A causa da morte ainda está sendo investigada pela polícia. O velório foi restrito, com caixão lacrado.

Familiares e Marilice Cosenza, amiga do ator, prestaram depoimentos após a confirmação do falecimento.

“A polícia está terminando a investigação. Saí há pouco da delegacia onde estive à noite toda com a família dando depoimentos. Luiz era meu melhor amigo. Eu e outra amiga tentamos falar com ele há alguns dias. Depois de passar o dia todo de ontem sem conseguir, pois o celular estava desligado, conversei com amigas que foram ao apartamento dele. Com a polícia e um chaveiro, acharam ele falecido na cama”, contou Marilice, explicado que a última vez que falou com o ator, de 42 anos de idade, foi no dia 5 de setembro. “Tudo triste é inacreditável”, completa.

Araújo não era tão conhecido pelo grande público, mas na classe teatral era famoso pelo profissionalismo e pela leveza com que encarava a vida, além do lado altruísta. Na TV, o papel mais conhecido foi na novela “Carinha de Anjo”, do SBT. Estrelou musicais como “Lisbela e o Prisioneiro”, “O Primo Basílio” e “Tieta do Agreste” e “Garota Glamour”.

Muitos desses espetáculos foram contracenados com Marilice Cosenza, grande amiga, além de parceira de trabalho.

Nas redes sociais, ele se identificava como um “artista multidisciplinar”. Além de atuar, ele também realizava trabalhos como locutor. Ele foi homenageado por amigos, como a atriz Camilla Camargo, com quem trabalhou na trama infantil Carinha de Anjo.

 

Possível quadro de depressão

Nos últimos meses, Marilice Cosenza diz que o amigo havia perdido a alegria tão peculiar de sua personalidade. Os sinais, diz, aparentavam um estado de depressão. “Depois que começou a pandemia, ele começou a ficar mais triste porque tinha menos trabalho, estava longe dos amigos. Começou a sumir das redes sociais. Estava mais triste. Nos encontros sempre mais quieto, na dele. Ele já estava bem diferente do que era”, afirma. Marilice deixa um alerta, que ela acredita que fosse da vontade do grande amigo: Estamos vivendo um momento muito difícil. Precisamos cuidar da nossa saúde mental, buscar fazer coisas prazerosas, estar atentos aos nossos amigos que começaram a ficar mais tristes, deprimidos, isolados. Prestar atenção nisso. Ir atrás, ter notícias. Isso fará toda a diferença.

Centro de Valorização da Vida

Caso você esteja pensando em cometer suicídio, procure ajuda especializada como o CVV (Centro de Valorização da Vida) e os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) da sua cidade.

O CVV funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, e também atende por e-mail, chat e pessoalmente. São mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil.

 

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo