CidadesDestaque

José Bonifácio não faz ‘dever de casa’ e Cabo Frio permanece no caos

Ruas esburacadas, prédios públicos abandonados e servidores sem salário. O cenário que deveria estar no passado, mais uma vez se repete em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio.  Desde que assumiu a Prefeitura, José Bonifácio ainda não conseguiu colocar a casa em ordem, ao contrário do que prometeu durante a campanha eleitoral no ano passado.

Sofrendo um desgoverno há anos, a cidade clama por atenção em todos os setores. Na segunda-feira (05), trabalhadores da Comsercaf, autarquia responsável pela limpeza urbana, foram as ruas reivindicar o pagamento de salário atrasado, EPIs – equipamentos de proteção individual -, e prioridade na vacinação contra a COVID-19.

A categoria percorreu o bairro Novo Portinho, ponte Márcio Correia e seguiram em caminhada para a sede da Prefeitura. “A gente quer que José Bonifácio entenda que nós temos filho pra criar pra dar comida e não tem como ficar com salário do ano passado atrasado. Temos criança com casa com fome”, desabafaram os servidores.

Durante o ato em frente à sede do Executivo, o prefeito José Bonifácio disse aos grevistas que não faz milagre nem fabrica dinheiro. Ele revelou que a dívida da prefeitura com salários atrasados do funcionalismo soma R$ 17 milhões de Reais e argumentou com os grevistas que vem mantendo os salários de 2021 rigorosamente em dia.

Os servidores acusam a companhia de não repassar as parcelas do consignado descontadas em folha no período correto o que vem provocando a perda de créditos. Os cortes de benefícios e extras tem agravado a situação e impossibilitado o pagamento de dívidas de dezembro.

A manifestação ganhou apoio da Educação, que também vem sofrendo com atrasos e péssimas condições de trabalho. “Mais uma vez, a direção do Sepe Lagos manifesta seu apoio incondicional à luta dos trabalhadores da Companhia de Serviços de Cabo Frio (Comsercaf).”, diz trecho de nota divulgada pelo Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação, Núcleo Lagos (Sepe Lagos).

O Sepe Lagos afirma ainda que “a prefeitura de Cabo Frio tem obrigação de atender as reivindicações destes trabalhadores, que estão entre aqueles que mais sofrem com a precarização de suas condições laborais e também com as consequências da pandemia”.

 

Perseguição

Assim como os trabalhadores da Comsercaf, o Sepe ressalta que “até hoje os profissionais aposentados e pensionistas da educação também não receberam seus salários de dezembro de 2020”. A falta de EPIs também é outra reivindicação recorrente. “Nas escolas da rede pública municipal, os educadores que desempenham funções administrativas também estão sendo forçados a trabalhar sem ter acesso a EPIs e sem treinamento sobre como utilizá-los e também dependem do precário e insalubre sistema de transporte público no deslocamento entre casa e trabalho”.

“A prefeitura também persegue os trabalhadores da educação que estão em luta. Por meio do secretário municipal de educação Flávio Guimarães, um oportunista traidor da nossa classe, o governo está cortando em mais de 90% os salários dos educadores em greve. Tal como perseguem os coletores e os garis, também impõem punições e perseguições políticas contra os trabalhadores das escolas”, afirma nota do Sepe Lagos.

 

Buracos oferecem risco a moradores

Moradores denunciam o abandono das ruas do bairro Jardim Caiçara. Segundo relatos, buracos e bueiros abertos já provocaram acidentes de pedestres e danos a veículos. “Cidade esburacada, tudo largado. Cidade faroeste. O povo está cansado de tanta coisa que nada acrescenta”, afirma Raul Vargas.

A situação também se estende a outros bairros e revolta a população. “Esse Prefeito só faz obra na orla da Praia do Forte. Recanto das Dunas tá com as ruas todas assim”, Adilson Capela.

“Vila do Ar cheia de buraco e o prefeito andando de bicicleta. Tantas coisas para fazer, lixo espalhado no bairro. Até quando isto vai continuar, prefeito? Pensei que faria um bom governo. Nós apostamos em você e só que nos enganamos”, lamentou Jane Barreto.

“Tamoios só serve para mandar os impostos para o Primeiro Distrito, vergonha, entra prefeito sai prefeito e Tamoios é só ver essa escutá-la passar”, pontua José Teixeira.

No mês passado, moradores do Peró cansados de esperar iniciativa do Poder Público resolveram agir. Eles se organizaram e taparam com concreto os buracos nas ruas próximas à Praça do Moinho, principal área de lazer do bairro, que sofre com a desordem, falta de manutenção e ocupação irregular dos espaços públicos.

 

Saúde no caos

Além da falta de EPIs, a Saúde de Cabo Frio vive em colapso. Nas redes sociais, moradores cobram informações sobre a vacinação contra Covid-19 e reclamam da falta de insumos básicos e médicos.

“Prefeito onde estão as vacinas?”, questiona Carla Costa. “Prefeito vergonha! Ele tomou a vacina dele e a população cabo-friense que se lasque nesse furacão chamado Covid. Que Deus tenha compaixão”, completou Renata Silva.

O ritmo de vacinação em Cabo Frio é horroroso. Ninguém se manifesta sobre isso. São Pedro da Aldeia sempre a frente de Cabo Frio”, comparou Eduardo Barreto.

“Cabo Frio precisa acelerar a vacinação, mais leitos de UTI, insumos para os médicos e enfermeiros trabalharem. Zé, pelo amor de Deus precisamos de mais leitos para Covid na rede pública”, destacou Neila Souza.

 

Verba retida

Pais e responsáveis de alunos da rede municipal cobram a Prefeitura esclarecimentos sobre a verba destina a compra de merenda. “As crianças do ensino público não iram comer ciclovia. Nós pais das crianças do ensino público municipal gostaríamos de saber o porquê o governo municipal está retendo a verba da alimentação escolar! Já que já foi dada total direito ao uso pelo governo federal! Cabo Frio precisa sim respeitar as crianças, está mais que claro que estão retendo o direito à alimentação delas”, disse Crescia Guimarães.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo