Geral

Há 19 anos, morte de Claudinho, da dupla com Buchecha, parava o Brasil

Amigos de infância, Cláudio Rodrigues de Mattos e Claucirlei Jovêncio de Souza tornaram-se Claudinho e Buchecha e chegaram ao auge no final da década de 1990. Com as animadas ‘Conquista’, Só Love’ e ‘Quero Te Encontrar’, a dupla conquistou o Brasil, mas teve a ascensão interrompida pela tragédia: a morte de Claudinho.

Em 13 de julho de 2002, os dois e a equipe estavam voltando de um show da turnê do álbum ‘Vamos Dançar’, o sexto da dupla, em carros separados quando o veículo onde Claudinho estava derrapou e bateu em uma árvore na rodovia Presidente Dutra, na descida da Serra das Araras, perto da cidade de Seropédica, no Rio de Janeiro.

Aos 26 anos, Claudinho morreu ainda no local em meio às ferragens do carro. Quem dirigia o veículo era o motorista Ivan Crespo Manzieri, que foi socorrido em estado grave, sobreviveu e foi processado anos depois.

 CARREIRA

Cláudio Rodrigues de Mattos conheceu Claucirlei Jovêncio de Souza, o Buchecha, na infância em São Gonçalo, no Rio. A dupla se tornou conhecida em 1995, com o “Rap do Salgueiro”, que resultou em um contrato com a gravadora Universal Music. O álbum Claudinho & Buchecha, de 1996, vendeu mais de 1 milhão de cópias. Em 1997, veio o segundo álbum A Forma, que vendeu 1,2 milhão de cópias. Ainda em 1997, a dupla ganhou o prêmio de Artista Revelação, no VMB, da MTV Brasil.

Em 1998, veio Só Love, que teve uma expressiva venda de 750 mil cópias. Em 1999, a dupla deu um tempo dos estúdios e subiu ao palco do Canecão no Rio de Janeiro para gravar seu primeiro álbum Ao Vivo. Porém em 2000, a dupla ficou três meses aprimorando aspectos técnicos e vocais para a gravação do álbum Destino.

Em 2002, veio o sexto disco da dupla, Vamos Dançar que teve sua turnê encurtada pela morte do cantor em julho.

 MORTE

Durante a turnê de lançamento do sexto disco da dupla, Vamos Dançar, em 12 de julho, horas antes de viajar, Claudinho ligou para Buchecha e avisou que iria em seu próprio carro, não com a van da banda, como de costume. Após a realização do show, na cidade de Lorena em São Paulo, Claudinho foi vítima de um acidente de carro, na Rodovia Presidente Dutra, na manhã do dia 13 de julho de 2002 e acabou falecendo na cidade de Seropédica na Baixada Fluminense. Buchecha vinha logo atrás na van com a equipe de produção e músicos.

 PROCESSO

No dia 30 de abril de 2011, a Justiça de São Paulo condenou a concessionária Nova Dutra a indenizar a viúva do cantor em razão do acidente que culminou em sua morte. O juiz Daniel Toscano, da 6ª Vara Cívil de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, estipulou uma indenização de R$ 13 460,39 pelos danos causados ao veículo, uma pensão mensal de R$ 2 051,23 até a autora completar 70 anos e R$ 500 mil pelo dano moral sofrido. “Se somos obrigados a pagar pedágios semelhantes aos cobrados em países desenvolvidos, que sejamos contemplados, em contrapartida, com rodovias de países desenvolvidos. Consignando ainda que a ré administra a rodovia há mais de uma década, tendo tempo suficiente para erigir as obras protetivas”, disse o juiz, na decisão.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo