Polícia

Força-Tarefa prende chefe da maior milícia de Belford Roxo e autor de homicídio de um policial militar

A Força-Tarefa da Polícia Civil de combate às milícias prendeu em flagrante, na sexta-feira (19), um criminoso conhecido como “Macalé”, considerado o chefe da maior quadrilha de milicianos que atua em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Os agentes apreenderam uma pistola, dois carregadores e munições com o bandido. Ele também é acusado de matar o policial militar Luís Carlos de Almeida da Silva Junior, em abril de 2020, quando o oficial estava saindo do serviço.

A ação foi realizada pela Delegacia de Polícia Interestadual – Divisão de Capturas (DC-Polinter) e com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Segundo os agentes, a quadrilha é conhecida como “Milícia do Babi” e atua nas comunidades Santa Maria, São Bernardo, Santa Amélia e Amapá. As investigações demonstraram que o grupo criminoso estava expandindo seus domínios para o bairro Xerém, em Duque de Caxias. O grupo é responsável por diversos delitos em Belford Roxo, onde atua extorquindo moradores e comerciantes, além de outros crimes graves, como tortura, roubos e homicídios. A organização também é acusada de comandar o comércio de água, gás, internet e transporte alternativo na região.

Ainda de acordo com os agentes, o miliciano estava sendo monitorado há um mês. As investigações revelaram que ele levava uma vida normal, indo a boates, festas e shoppings. Após amplo trabalho de inteligência, ele foi localizado e detido em uma casa, que estava sendo construída para o criminoso morar com a namorada. Ao ser preso, o miliciano confessou os crimes e a morte do policial militar. Ele também responde por roubo majorado pelo concurso de pessoas e pelo emprego de arma de fogo e também por integrar associação criminosa.

O miliciano foi autuado em flagrante e vai responder por crime de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito. Além disso, também foi apreendido seu veículo blindado e uma carteira de identidade falsa. Contra ele ainda foram cumpridos três mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça. Ele será encaminhado ao sistema prisional e ficará à disposição da Justiça.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo