CidadesDestaque

Delegacia de Arraial do Cabo recebe homenagem na Alerj

A Delegada Patrícia Aguiar da 132ª Delegacia Policial (DP), em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio, deixa o comando da distrital com o sentimento de dever cumprido. Nesta quinta-feira (25), a delegada volta à capital, onde assumirá a 4ª DP, na Praça da República, no centro do Rio. Na bagagem, Patrícia leva resultados positivos alcançados com os trabalhos realizados pela sua equipe à frente da delegacia de Arraial do Cabo. A atuação ganhou destaque na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) na terça-feira (23).

Patrícia Aguiar e toda equipe da distrital foi homenageada pelos relevantes serviços prestados à sociedade. A moção de aplausos e congratulações foi publicada no Diário Oficial, e encaminhada para o cerimonial da Casa.

“Recebi com muita alegria a notícia dessa moção e me sinto extremamente grata por esse reconhecimento tão importante. Minha passagem por Arraial do Cabo foi realmente um marco em minha carreira, por tudo o que eu e minha equipe conseguimos realizar”, destacou a delegada.

O pedido de reconhecimento foi feito pelo deputado estadual Danniel Librelon, que é da capital e está em seu primeiro mandato. Em sua solicitação, o deputado citou a criação do projeto As Guardiãs e do Núcleo de Homicídios e Combate ao Tráfico de Drogas da 132ª DP. O texto ressalta ainda que, em 10 meses, 127 criminosos foram presos e que 103 casos de violência doméstica foram investigados.

Segundo o deputado Danniel Librelon, a passagem da delegada por Arraial do Cabo foi marcante. “Ofereci a moção à delegada e toda equipe da 132ª DP por toda a sua carreira, mas, principalmente, pelos últimos 10 meses à frente da delegacia de Arraial do Cabo, onde teve uma brilhante atuação”, disse o parlamentar.

No lugar de Patrícia Aguiar, quem assume o comando da 132ª DP é o delegado Ruchester Marreiros, após uma cerimônia prevista para às 11h.

Um dos pontos mais importantes, na opinião da delegada, foi a aproximação e a sintonia entre a Polícia Civil, Polícia Militar e Ministério Público, que permitiram a realização de ações em conjunto, com respostas expressivas.

“Eu e minha equipe assumimos Arraial do Cabo com uma missão pessoal de combater os crimes contra vítimas especiais, atacar o tráfico de drogas e investigar esquemas de fraudes, principalmente, envolvendo bens públicos, o que afeta toda a sociedade. Acreditamos que conseguimos alcançar nossos objetivos. Estreitamos os laços com a Polícia Militar e com o Ministério Público e, graças à troca de informações entre as instituições e à parceria da delegacia com a 6a Companhia da Polícia Militar, conseguimos prender mais de 120 pessoas, em menos de um ano”, disse Patrícia Aguiar.

Ações e resultados

De acordo com um levantamento feito pela 132ª DP, somente de abril de 2020, quando Patrícia assumiu a delegacia, até dezembro, 127 criminosos foram capturados, sendo 87 presos em flagrante, 19 por mandados de prisão e 21 menores apreendidos em flagrante. A maioria das prisões e apreensões foi por tráfico de drogas.

 

A unidade também fez 28 representações por prisões preventivas e temporárias à Justiça. Além disso, 128 pessoas foram indiciadas por diferentes crimes, das quais 19 por homicídios e duas por feminicídios.

“Além disso, desenvolvemos ações importantes, como a criação do Núcleo de Homicídios e Combate ao Tráfico de Drogas e do projeto As Guardiãs, que investigou mais de 100 casos de violência doméstica e 12 de estupro de vulnerável. Também desencadeamos sete operações, com destaque para as investigações de fraudes na área da Saúde do município e contra uma quadrilha de grileiros formada por funcionários da Prefeitura”, contou Patrícia.

Das sete operações desenvolvidas pela equipe de Patrícia Aguiar, duas delas, citadas pela delegada, ganharam destaque: a Operação No Fio do Bigode, que investiga um grande esquema de corrupção que desviou milhões de reais da Saúde do município, e a Operação Máquina de Rapina contra funcionários e ex-funcionários da Prefeitura suspeitos de aplicarem golpes envolvendo a compra e venda de terrenos na cidade.

O projeto As Guardiãs, criado com o objetivo de dar mais atenção e celeridade às investigações envolvendo violência doméstica e vítimas especiais investigou, de abril a dezembro do ano passado, 103 casos de Maria da Penha e 12 de estupro de vulnerável, com 65 agressores indiciados.

“Mas tudo isso só foi possível porque encontramos na delegacia de Arraial do Cabo policiais civis extremamente dedicados e comprometidos. Eu e minha equipe só temos a agradecer a eles e à população de bem. Saímos para uma nova missão felizes com os resultados alcançados aqui e desejando que tenhamos feito a diferença para a cidade”, finalizou a delegada.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo