DestaqueTurismo

Conheça os encantos de Bonito, no Mato Grosso do Sul

Conhecida como capital brasileira do ecoturismo, a cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul, abriga alguns dos cenários naturais mais incríveis do Brasil. Suas águas cristalinas, por exemplo, rendem fotos lindas para as redes sociais e são perfeitas para praticar mergulho e flutuação.

Bonito conta com uma série de passeios para quem quer explorar a natureza, como trilhas em matas preservadas e visitas a cachoeiras – entre elas, a famosa “Boca da Onça”, com uma impressionante queda de 156 metros. Os viajantes que procuram por atrações mais radicais podem aproveitar a visita para se aventurar na maior plataforma de rapel do mundo. Ela tem 90 metros de altura e oferece vistas inesquecíveis.

Quem passa pela região também consegue contemplar uma dolina (grande cratera de arenito formada por causa de um desabamento). Com 120 metros de profundidade e 500 metros de diâmetro, o “buraco” se tornou o local favorito de araras vermelhas e outras centenas de espécies de aves

Além das atrações relacionadas à natureza, Bonito encanta os visitantes com sua gastronomia regional. Na cidade, é possível provar receitas inspiradas nos produtos típicos da fronteira entre Brasil e Paraguai.

HISTÓRIA

A cidade de Bonito foi fundada ao redor do município de Miranda. Antigamente a região era povoada pelos índios. As tribos Tapetim, Nelique, Chamacocos e Guaianás conheciam bem a região e se utilizavam da caça e da pesca para sobreviver. No ano de 1869 o Capitão Luiz da Costa Leite Falcão chegou à região e adquiriu a Fazenda Rincão Bonito. As terras da fazenda possuíam beleza natural impressionante, zonas rurais, rios, cascatas e piscinas naturais ao seu redor.

Em 1915 criou-se o Distrito de Paz de Bonito que fazia parte do município de Miranda. Dez anos mais tarde a Cidade de Bonito foi fundada e foi nesse período que a população aumentou. Apenas em 1948 a cidade passou a ser considerada um município e, em 1977 foi vinculada ao estado de Mato Grosso do Sul.

QUANDO IR

Bonito é um destino maravilhoso porque, além de tudo, é visitável o ano inteiro. Porém, existem algumas épocas específicas nas quais as experiências podem ser mais bem aproveitadas.

Entre os meses de maio e setembro, chove menos no local. E, ao contrário do que muitas pessoas pensam, no inverno nenhum passeio é prejudicado. Nem mesmo as flutuações. Inclusive, é nessa época que a visibilidade da água fica melhor. Além disso, os preços são mais baixos.

Entre outubro e abril, que é o período mais quente, existem mais possibilidades de chuvas e de encarar mosquitos. Principalmente, quando é verão. Mas, a desvantagem desse período chuvoso é que as águas ficam mais turvas, prejudicando a visibilidade dos passeios de flutuação.

Porém, isso não é motivo para deixar de conhecer as belezas e encantos de Bonito. É nessa época que os banhos de cachoeira serão mais propícios, para se refrescar do calor. Até o início de dezembro, ainda se encontram preços de baixa temporada.

ATRATIVOS

Bonito é uma região rica em cavernas e cachoeiras e apresenta inúmeras atrações para viajantes de todos os gostos e idades. Entre as incríveis atrações, destacam-se a Gruta do Lago Azul, uma formação calcária e esverdeada que abriga o Lago Azul a 100 metros abaixo da terra e a descida do Rio Olho D’Água até o Rio da Prata, que proporciona um mergulho extraordinário em águas cristalinas e repletas de peixes. O rafting no Rio Formoso dá um toque de aventura à viagem e é a oportunidade de apreciar a vegetação e a fauna às margens do rio, um encontro marcado com macacos, tucanos e araras. Bonito é assim: um exemplo de integração e convívio com a natureza.

Abismo Anhumas – São 72 metros de descida (e também, subida) em rapel por uma fenda que termina numa caverna que tem um lago do tamanho de um campo de futebol e 80 metros de profundidade. Lá embaixo, um bote espera o turista para um passeio. Ali você pode fazer passeio de flutuação ou mergulhar para ver cones de até 17 metros de altura. A visibilidade é de 60 metros. Na noite anterior ao passeio, o visitante recebe um treinamento de rapel. Fica a 25 km da cidade.

Barra do Sucuri – A 16 km do centro, o rio Sucuri é um dos rios mais cristalinos do mundo. O passeio começa numa trilha de cerca de 150 metros até um deck de treinamento para o turista se acostumar com o uso da máscara e do snorkel. Daí, passeio de barco por 1,3 mil metros com guia explicando sobre a flora subaquática e cardumes de peixes. A volta é na base da flutuação, deixando-se levar pela correnteza, acompanhado pelo barco e guia. Não é preciso saber nadar para fazer o passeio que tem incluído no preço colete salva-vidas, máscara, snorkel sapatilha e roupa de neoprene.

Gruta Azul – Declarada Patrimônio Natural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a Gruta Azul é um dos cartões postais de Bonito. Foi descoberta por um índio em 1925. O acesso é controlado para conhecer seus 80 metros de profundidade e 120 metros de largura. As águas são cristalinas e há várias formações de estalactites (sedimentos que se originam no teto de uma gruta e cresce para baixo em direção ao chão) e estalagmites (crescem na direção inversa). Após a trilha até a entrada da gruta, o turista tem que descer uma escada com trezentos degraus.

Balneário Municipal – Com quadras de vôlei, futebol de areia, churrasqueira e restaurante, o Balneário Municipal fica às margens do rio Formoso. Aqui, você pode nadar entre cardumes de peixes. É um lugar para passar o dia. Fica a 7 km do centro.

Boca da Onça – É onde você vai encontrar a maior cachoeira do Mato Grosso do Sul com 156 metros de altura. Fica a 55 km da cidade e é passeio de um dia. Neste passeio você fará uma caminhada por uma trilha ecológica que passa por dez cachoeiras. Há uma parada no rio Salobra para relaxar em piscinas naturais. E, tendo espírito de aventura, pode encarar o rapel mais alto do Brasil: 90 metros de descida em negativo, com visão do cânion do rio Salobra.

Buraco das Araras e Rio da Prata – A 53 km de Bonito você pode conhecer o Rio da Prata e o Buraco das Araras, que ficam próximos. No Rio da Prata, a atração é uma flutuação por 2,2 mil metros (o material está incluso no preço), tendo ainda como opção, cavalgada passando por açudes com jacarés. Já o Buraco das Araras é uma visita de contemplação. É uma cavidade de 500 metros de circunferência e 100 metros de profundidade, que foi formado pelo desmoronamento de blocos de rochas. Neste buraco, além das araras, moram tatus, tamanduás, quatis e mais 120 espécies de aves, como tucanos. No fundo do buraco uma lagoa abriga jacarés de papo amarelo.

 Arvorismo, Boia Cross e Passeio de Bote – No Hotel Cabanas duas aventuras: boia cross e arvorismo. De boia o percurso é no rio Formoso por cerca de 1,2 km em pouco mais de 40 minutos. Acompanhado, o turista ultrapassa seis quedas. A volta é numa trilha ao longo de uma mata ciliar. O arvorismo é o único de Bonito e a tirolesa está sobre o rio Formoso. O circuito tem dezoito obstáculos e mais duas tirolesas, num total de 350 metros entre árvores centenárias. No Eco Park Porto da Ilha a atração é um passeio de bote num percurso de 5 km que passa por quatro cachoeiras e tem parada para tomar banho.

Aquário Natural – Baía Bonita – Diversão, ecologia e aventura: o passeio oferece tudo isso e muito mais. Visitantes de todo o mundo são atraídos pela transparência de suas águas, repletas de cardumes de peixes de mais de 30 espécies diferentes, que estão sempre ali, quase ao alcance das mãos. A infraestrutura rústica e aconchegante, com restaurante, museu de historia natural, loja de artesanato e piscinas para treinamento, proporciona ao turista uma estada agradável e com toda a segurança. Outra atração imperdível é o passeio pela Trilha dos Animais. Existem pontos de observação pelo caminho e dá para ver emas, jacarés, cervos do Pantanal, lobos-guarás, dentre outros.

 

 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo