Turismo

Conheça as belezas de Santos, maior cidade do litoral paulista

Uma das principais cidades portuárias do Brasil, Santos, no litoral de São Paulo, é um destino de férias repleto de belezas naturais e pontos turísticos que valem a pena ser visitados. A começar por sua orla, com sete quilômetros de extensão em praias contornadas por jardins, a cidade tem atrativos para todo tipo de turismo e bolso, além de guardar paradas especiais que narram um pouquinho da história do país. Esse é o caso da Fortaleza da Barra Grande, um ponto turístico que data do ano de 1584 e cujo percurso para alcançá-lo pode ser feito por escunas, que partem da Ponta da Praia e vão rumo ao forte.

Qualidade de vida não falta para a cidade que é considerada uma das localidades brasileiras com mais elevado índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Os sete quilômetros de praias da Cidade também são uma fonte inesgotável de lazer. O Aquário Municipal, em um levantamento feito pelo Departamento de Pesquisa e Planejamento da Secretaria de Estado de Esporte e Turismo, é o segundo parque que mais recebe visitantes no Estado de São Paulo, perdendo somente para o Zoológico, localizado na Capital.

Registrando como atividades econômicas o porto, comércio, pesca e turismo, Santos oferece moderna infra-estrutura. São 18 hotéis e flats, 87 bares e restaurantes, 109 agências bancárias, sete shoppings e centros comerciais e um centro de convenções. Ainda há universidades, supermercados, museus, centros culturais, bibliotecas, teatros, cinemas e principalmente saneamento básico e moderna rede hospitalar.

Apesar de não estar entre o conjunto de praias mais badaladas do Brasil, a cidade recebe turistas durante todo o ano e fica cheia principalmente durante as férias de verão.

História

Uma das cidades mais ricas do Brasil, Santos tem sua origem relacionada à chegada dos primeiros colonizadores portugueses que vieram ao território brasileiro, na expedição de Martim Afonso de Sousa. O destino proporciona ao visitante uma viagem no tempo. Ao andar nas ruas, nos deparamos com a história nacional enraizada nos museus e nas arquiteturas dos prédios e casas.

A ilha de São Vicente era chamada Goaió, que significa “lugar de fornecimento de provisões”. Ali os viajantes encontravam índios amistosos, com os quais trocavam mercadorias por alimentos. A parte da ilha onde surgiria Santos ficou conhecida como Enguaguaçu, termo que corresponde a “enseada grande”.

Não se conhece o ano exato do princípio da povoação. O certo é que o fundador de Santos, Brás Cubas, chegou de Portugal em 1532, com Martim Afonso de Souza, donatário da Capitania de São Vicente. Dele recebeu as terras de Jurubatuba e comprou as terras situadas no Enguaguaçu, onde já existia uma pequena igreja sobre o outeiro de Santa Catarina.

Vizinho ao outeiro, Brás Cubas construiu sua casa. Assim Santos é um dos poucos municípios brasileiros que sabem exatamente seu local de fundação: o outeiro de Santa Catarina, no Centro. Na rocha ainda existente, uma placa indica como início da povoação a época de 1543.

Em 1541, Brás Cubas conseguiu a mudança do porto, que ficava na Ponta da Praia, na atual Ponte Edgard Perdigão (Ponte dos Práticos), para o outro lado da ilha, o lagamar de Enguaguaçu, hoje Centro da Cidade.

Muitos consideram a transferência do porto como a verdadeira fundação de Santos. Outros apontam 1º de novembro de 1543 como a data histórica, quando foi instalado o primeiro hospital da América, a Santa Casa de Misericórdia de Todos os Santos, por iniciativa de Brás Cubas e que acabou originado o nome do município. Em 1546, Santos foi elevada à categoria de Vila e, em 26 de janeiro de 1839, passou a ser cidade.

Principais trações

Centro histórico – Vale começar o passeio pelo Centro Histórico de Santos, foi habitado pela parcela mais rica da população, fortemente influenciado pela arquitetura europeia. Uma volta pelas ruas vanguardistas de paralelepípedos, o turista irá perceber um importante acervo histórico composto por edifícios, praças e monumentos que retratam diversos períodos brasileiros. Os estilos transitam entre o colonial, barroco, vitoriano e neoclássico.

Palácio José Bonifácio – Arquitetura inspirada no palácio de Versailles, em Paris. Inaugurado em 1939 na passagem do centenário da elevação da Vila de Santos à categoria cidade.

Casa de frontaria azulejada – A Casa de frontaria azulejada (1865), localizada na Rua do Comércio, possui uma fachada em alto-relevo importada de Portugal. Desde 2006, o local é considerado o maior espaço cultural do Centro Histórico de Santos.

Basílica Menor de Santo Antônio do Embaré – Localizada em Embaré, a Basílica originou-se de uma capela erguida em 1875.  Foi entregue em 1922 aos frades Capuchinhos, que iniciaram a nova edificação em 1930. O local, com arquitetura neogótica, foi elevado a Basílica pelo Papa Pio XII, apenas em 1952.

Estação do Valongo – Inaugurada em 1867, a estação Valongo foi a primeira do Estado de São Paulo, inspirada na construção Victoria em Londres. O local atendia à linha São Paulo-Santos. Atualmente, a estação é o ponto de embarque e desembarque da Linha Turística do Bonde, que promove um passeio com explicações sobre Centro Histórico da cidade. Uma verdadeira aula de história ao livre.

Museu dos Cafés do Brasil – O Museu do Café fica no palácio da antiga Bolsa Oficial do Café, construída em 1917. Então a primeira coisa que você vai encontrar, antes mesmo de entrar, é uma arquitetura rica em detalhes e lindíssima.

No interior do museu, vários objetos, documentos e apresentações audiovisuais contam a história do café no Brasil e no mundo. Tem, inclusive, pequenas mudas de café para os visitantes entenderem a diferença entre os grãos.  Também é possível conhecer o salão do pregão e ver obras de Benedicto Calixto e muito mais no acervo do museu. Já que estamos falando do acervo, além das exposições fixas, sempre rolam itinerâncias por lá. Neste ano, por exemplo, o Museu da Língua Portuguesa aportou ali e bombou de visitas.

Museu da Pesca – Localizado no casarão de 1908, o Museu da Pesca integra atrações como o esqueleto da baleia com 23 metros de comprimento, lulas gigantes, sala com todos os estilos de areias das praias brasileiras, animais taxidermizados, entre outros objetos.

Museu do Pelé – Construído em homenagem a Edson Arantes do Nascimento, conhecido como Pelé, o museu apresenta a história de sucesso do atleta. Considerado como o Rei do futebol, sua trajetória é interligada com a cidade e com o Santos Futebol Clube. O espaço expõe equipamentos, troféus, objetos pessoais, vídeos e depoimentos de pessoas que viviam ao redor do fenômeno.

Memorial de Conquistas – Com 380m² de território, o Memorial das Conquistas do Santos Futebol Clube, localizado no Estádio Urbano Caldeira, reúne objetos e registros da história do time.

Porto de Santos – O Porto de Santos é o maior complexo portuário da América Latina, sua área de influência econômica concentra aproximadamente 67% do produto interno bruto (PIB) brasileiro. Atualmente, o Brasil é o maior produtor de cafés do mundo, de acordo com o Centro de Desenvolvimento Social e Produtivo (Cedesp), mais de 900 mil toneladas de grãos foram exportadas pelo cai santista até maio deste ano. Cerca de 80% dos grãos brasileiros saem do Porto de Santos.

Escultura Tomie Ohtake – Localizada no Parque do Emissário Submarino, com uma vista privilegiada do mar, a obra de arte da artista plástica Tomie Ohtake, atrai a atenção de turistas e moradores. Inaugurada em 2008 pelo príncipe Naruhito do Japão, a escultura possui 15 metros de altura e foi produzida em homenagem ao centenário da imigração japonesa no Brasil.

Aquário de Santos – O Aquário de Santos, primeira instituição brasileira a realizar resgate e recuperação dos animais marinhos, ocupa uma área de 3 mil m², com 2.214 dos quais são abertos aos visitantes.

Orquidário – O parque  conta com 3.500 orquídeas de 120 espécies. Considerado como maior parque do gênero ao ar livre do mundo, o local possui quase 500 animais de 70 espécies.

Maior jardim à beira-mar – Santos tem o maior jardim à beira-mar do mundo com sete quilômetros de extensão.

Ilha Diana – No trajeto para chegar na Ilha Diana, o barco que corta a água, deixa um rastro branco e curto produzido pela espuma do mar. O turista já inicia sua jornada com a contemplação de uma paisagem recheada de belezas naturais. Ao chegar na ilha, que contém cerca 200 habitantes, o visitante é recebido por uma mesa de café da manhã,  preparada pelas mãos da comunidade. A programação inclui alimentação (café da manhã e almoço) e passeios monitorados pela ilha.

Rua Gastronômica –  Desde janeiro de 2018, a lei prescrita pelo vereador Zequinha Teixeira, e sancionada pelo prefeito Alexandre Barbosa, definiu que a Rua Tolentino Filgueiras fosse oficialmente a Rua Gastronômica da cidade.  O local possui 15 variados estabelecimentos desde restaurantes que oferecem comida mexicana, hambúrgueres, culinária italiana e contemporânea, até mesmo baladas.

Natureza

São de encher os olhos e o coração as belezas da Mata Atlântica, preservadas na área continental de Santos. Aventure-se por trilhas, atravesse correntezas em caiaques, refresque corpo e alma em cachoeiras e piscinas naturais… Para completar o encantamento, búfalos originários da Índia dividem as atenções com animais e pássaros silvestres.

A 45 quilômetros da praia, a natureza mostra toda a sua exuberância na Laje de Santos. Melhor ponto de mergulho de todo o estado e um dos melhores do país, com água cristalina – a visibilidade chega a 40 metros! – abriga uma fauna impressionante: cardumes coloridos, arraias-jamantas, tartarugas, garoupas, golfinhos e, dependendo da época (e da sorte), tubarões e até baleias!

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo