Geral

Close Enough for Rock ‘n’ Roll completa 45 anos de lançamento

Close Enough for Rock ‘n’ Roll foi o sétimo álbum de estúdio da banda de rock escocesa Nazareth, lançado em 1976. O título do álbum se refere a um dito entre os guitarristas: não importa se a sua guitarra está em plena sintonia, enquanto está “perto o suficiente para o rock n ‘roll”.

Nazareth é uma banda de rock escocesa formada na cidade de Dunfermline, nos anos 1960 pelo vocalista Dan McCafferty, o guitarrista Manny Charlton, o baixista Pete Agnew e o baterista Darrell Sweet. A banda teve vários sucessos, entre eles a composição de Felice Bryant e Boudleaux Bryant, “Love Hurts”, nos anos 1970. No dia 30 de Agosto de 2013, o vocalista Dan McCafferty descobre que sofre de uma doença pulmonar obstrutiva crônica e então decide se aposentar da carreira artística. No dia 24 de Fevereiro de 2014, é anunciado o novo vocalista da banda, Linton Osborne. Após um ano de atividade, em 13 de Fevereiro de 2015, a banda anuncia Carl Sentance, anteriormente do Persian Risk, Geezer Butler Band e Krokus, como seu novo vocalista.

 História

As origens do Nazareth remontam a 1961, ano em que Pete Agnew fundou o “The Shadettes”. A primeira formação deste grupo foi: Pete Agnew (guitarra e vocal), Brian ‘Pye’ Brady (guitarra), Alfie Murray (guitarra), Alan Fraser (bateria) e Bobby Spence (baixo).

O grupo ganhou consistência, nos anos de 1964 e 1965, com a chegada de Darrel Sweet e Dan McCafferty. Em 1968, dois acontecimentos muito importantes na história da banda: o ingresso do lendário guitarrista Manny Charlton e a mudança do nome para Nazareth.

Até então o grupo limitava-se a fazer covers; porém, com Manny integrado ao grupo, os escoceses passaram a compor material próprio.

Após a mudança para Londres, lançaram seu primeiro disco, chamado Nazareth, em 1971. Em 1972 chamaram a atenção no mundo da música com o seu segundo álbum – Exercises -, o trabalho mais leve já realizado pela banda.

Em 1973, a banda procurava por um produtor para seu próximo álbum, que haveria de ter um som bem mais pesado que o anterior. A escolha não poderia ter sido melhor: Roger Glover. Segundo Dan McCafferty, “Roger Glover acabou envolvendo-se naquele álbum, pois o Nazareth estava abrindo para o Deep Purple na parte inglesa da turnê. Estávamos procurando um produtor, e então tocamos nossas Demos para o Roger, que obviamente já havia nos visto ao vivo. Ele gostou do material e fomos para o estúdio. Tudo foi muito simples, pois todos sabíamos o que queríamos dentro da banda, e o Roger, por estar em turnê conosco, também sabia. Gravamos tudo em duas semanas, e tínhamos que fazer duas músicas por dia (risos). Teve que ser um trabalho bem objetivo!” (trecho de entrevista publicada na revista Roadie Crew, edição n° 76 – maio/2005 – com reportagem de Claudio Vicentim e fotos de Ricardo Zupa). Assim, surgiu Razamanaz, que lançou o Nazareth ao estrelato e culminou com duas músicas qualificadas entre as dez mais tocadas no Reino Unido – “Broken Down Angel” e “Bad Bad Boy”.

Os dois álbuns que se seguiram, Loud ‘N’ Proud e Rampant, também foram produzidos por Glover, mas o sucesso foi um pouco menor.

O mais famoso álbum do Nazareth, Hair of the Dog, foi produzido pela própria banda e surgiu em 1975, sendo um marco para o Rock dos anos 70. Sua interpretação da música dos Everly Brothers “Love Hurts” resultou em disco de platina nos Estados Unidos e teve sucesso similar no Reino Unido. A este se seguiram uma série de álbuns que estão no Top 100 do Billboard 200.

Em 1978, o guitarrista Zal Cleminson (Sensational Alex Harvey Band) juntou-se ao grupo, gravando apenas dois álbuns com o Nazareth. Zal, todavia, deixou sua marca: seu dueto com Manny Charlton no álbum No Mean City é até hoje lembrado como um dos melhores trabalhos com guitarras já realizados em estúdio. Zal foi substituído por Billy Rankin, na época com apenas 19 anos.

Em 2008, o quarteto escocês, que completa 40 anos ininterruptos de existência, está fazendo uma turnê comemorativa. Para esta turnê, a banda agendou vários shows no Brasil, os quais foram realizados no mês de maio. As cidades brasileiras que receberam a visita dos escoceses nesta oportunidade foram: Maringá, Cascavel, Fortaleza, Joinville, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa, São Paulo, Curitiba, Londrina (30/05) e Tubarão.[4] Em dois shows da turnê, o mito Dan McCafferty soube muito bem explorar o que o Brasil tem de melhor: o futebol. Numa junção entre Rock and Roll e a modalidade esportiva, o vocalista do Nazareth subiu ao palco vestindo as camisas de clubes locais. O primeiro foi em Ponta Grossa/PR, com a camisa do Operário Ferroviário E.C. Em outro show da banda, Dan McCafferty vestiu a camisa do Atlético Tubarão da cidade de Tubarão/SC. Os fãs-torcedores foram ao delírio.

Segundo o site oficial do quarteto escocês, a banda retornará à América Latina no mês de dezembro, ocasião em que poderá realizar novas apresentações em terras tupiniquins.

Em 2016 o Nazareth retorna ao Brasil para duas apresentações, nos dias 24 e 25 de maio, em Vilha Velha-ES e Brasília respectivamente

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo