Geral

Betty Faria completa 80 anos

Betty Faria completou 80 anos no último sábado (8), e 56 deles ela passou trabalhando na TV. A atriz é uma das divas de sua geração e se consagrou em seus papéis na teledramaturgia, como nas novelas Pecado Capital (1975) e Tieta (1989). Mas nem todas as histórias de sua carreira são conhecidas do grande público.

Em 1975, ela chegou a interpretar a viúva Porcina na primeira versão de Roque Santeiro, que não foi exibida pela Globo por proibição da Censura Federal. Décadas depois, Betty confessou que odiava a personagem.

Sua protagonista de maior sucesso veio em 1989, com Tieta. A própria atriz foi quem teve a ideia de levar a história para a TV. Ela ganhou dinheiro até depois da novela, por vender produtos inspirados em Tieta.

 

CARREIRA

Betty é filha única do militar Marçal Moura de Faria e da dona de casa Elsa Gonçalves Pereira da Silva. É mãe da também atriz Alexandra Marzo, fruto do seu casamento com o ator Cláudio Marzo. Foi também casada com o diretor e ator Daniel Filho, com quem tem um filho, João de Faria Daniel. Betty é ainda avó de Giúlia, filha de Alexandra, de Antônio e dos gêmeos Valentina e João Paulo, filhos de João de Faria Daniel. Pelo lado materno, é prima distante de Raul Jungmann, ex-ministro da Defesa do Brasil, e do baterista André Jung.

Betty posou duas vezes para a revista Playboy: em agosto de 1978 e outubro de 1984.

Nascida em lar católico, a atriz foi umbandista por mais de vinte anos, até que em 1996 converteu -se ao Budismo de Nitiren, onde fez uma revolução interior profunda em sua vida, encontrando a paz através da recitação do daimoku.

Os seus melhores momentos no cinema brasileiro foram ao protagonizar A Estrela Sobe (1974), de Bruno Barreto, e Bye Bye Brasil (1979), de Cacá Diegues.

Na televisão, as suas participações de maior sucesso foram em Pecado Capital (1975), Água Viva (1980), Baila Comigo (1981) e Tieta (1989), esta última como protagonista-título. Com o papel de Lucinha em Pecado Capital, Betty foi a pioneira na história mundial das telenovelas em interpretar mocinhas fortes e batalhadoras (geralmente trabalhadoras, populares e moradoras de subúrbio), retirando o velho esteriótipo da mocinha indefesa e dependente de um galã. Até os dias de hoje, essa característica em protagonistas ainda é explorada pela Rede Globo e muitas outras emissoras do mundo.

A atriz assinou contrato com o SBT em 2009 por oito meses, tendo sido uma das protagonista da novela Uma Rosa com Amor, um remake da novela homônima de Vicente Sesso, exibida pela Rede Globo em 1972. Em setembro de 2011, Betty esteve em Vitória, onde encerrou a 3ª edição do Circuito Banescard de Teatro.

Após quatro anos afastada da Rede Globo, Betty foi recontratada para atuar como Pilar Alburquerque, mãe de Aléxia (Carolina Ferraz) em Avenida Brasil, de João Emanuel Carneiro. Em 2014 juntamente com Francisco Cuoco, é escalada para interpretar os personagens que seriam de Lima Duarte e Regina Duarte, respectivamente, em Boogie Oogie. Em 2017 fez parte de A Força do Querer de Glória Perez como a divertida Elvirinha. Em 2018 Participou da minissérie Se Eu Fechar os Olhos Agora e em 2019 está em A Dona do Pedaço de Walcyr Carrasco como Cornélia Macondo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo