Prefeita Lívia Bello anuncia mega pacote de obras para o saneamento

0
4

Durante coletiva de imprensa, Prefeita de Araruama antecipa investimentos futuros do município em diversas áreas

Em entrevista coletiva, a prefeita de Araruama, na Região dos Lagos do Rio, Lívia Bello, conhecida como Lívia de Chiquinho, fez um balanço da gestão, além de anunciar a retomada de diversos investimentos na cidade. A prefeita também destacou a economia gerada nos cofres públicos e os desafios financeiros enfrentados devido às dívidas deixadas pela gestão passada. “Nosso governo traz a economicidade e estamos fazendo obras”, garante.

“Vamos continuar trabalhando pelo nosso município. Temos muitos investimentos para serem feitos. Estamos com muitas obras programadas, seja na saúde, educação, infraestrutura. Temos muitas obras, mas ao mesmo tempo estamos lidando com muitas divida que foram deixadas por irresponsabilidade da antiga gestão”, pontou a prefeita.

Sem medir esforços para sanar problemas de enchentes e alagamentos no município, a prefeita anunciou um pacote de saneamento, com base em águas pluviais, que prevê obras para livrar a cidade dos impactos causados por grandes volumes de chuva. Na última sexta-feira (18), um temporal alagou ruas e deixou nove famílias desalojadas no bairro Bananeiras.

“A chuva foi além do normal, com 96 horas, ela já havia ultrapassado os 200 milímetros. Foi algo surreal. Qualquer cidade no mundo não tem estrutura para suportar uma chuva dessas. É claro que existem obras de estrutura que precisam ser feitas dentro do município. Não podemos deixar de falar sobre isso. Sabemos que tem pontos estratégicos que precisamos fazer essas obras. O engenheiro Serginho fez todo um estudo da nossa cidade. Isso jamais foi feito. As obras que foram feitas por outros governos eram paliativas”, ressalta.

Segundo Lívia, o projeto será divido em três etapas, por ser um investimento muito alto, no valor de 35.514.000,00. “O projeto foi dividido em três etapas. Por isso, será um investimento muito alto. Abri o processo no dia 1º de fevereiro para ser possível dar início a licitação para começarmos a primeira etapa. Na primeira etapa são R$ 14 milhões de investimento. Podemos observar que é muito difícil um prefeito investir de cara R$ 14 milhões em obras no chão, que não é vista. Temos bairros como, por exemplo, a Vila Capri, XV de Novembro, vários bairros que sofrem com alagamentos, pois não têm obras de estrutura”, afirma.

Lívia destaca que está aguardando a liberação do Tribunal de Contas do Rio (TCE-RJ) há 3 meses, e assim que estiver liberado será dada entrada na licitação para início da primeira etapa, que pretende beneficiar os bairros Vila Capri, Jardim São Paulo, Fazendinha, Clube dos Engenheiros, Norival Carvalho, Itatiquara e Três Vendas.

“Nos fizemos um estudo e demos início ao projeto, mas o Tribunal de Contas pediu o processo para revisar. É normal. Só que a revisão está demorando muito. Estamos aguardando há três meses a liberação. Sabemos que tem pontos estratégicos que precisamos fazer essas obras. Está aqui presente o engenheiro Serginho, que fez todo um estudo da nossa cidade. Isso já mais foi feito. As obras que foram feitas por outros governos eram paliativas”.

De acordo com a gestora, os bairros contemplados pela segunda etapa do projeto serão XV de Novembro, Mataruna, Outeiro e Coqueiral. Já a terceira etapa vai beneficiar as localidades de Condomínio II, Areal, Hospício, Paraty, Bananeiras, São Vicente e Centro.

Lívia disse que, em sua gestão, vai priorizar os investimentos e obras dentro da realidade financeira do município. “Claro que tudo tem que ser feito dentro da realidade do município. E torno a ser repetitiva. Quando assumi o governo, vocês sabem da divida só de INSS somam mais de R$ 43 milhões. Quando chegou ao início de 2018 nos deparamos com dívidas deixadas de precatórios, de R$ 18 milhões. Ou seja, tudo isso nos leva a planejamento. A gente precisa planejar e estruturar as contas do município e este foi meu objetivo desde o inicio. Primeiro a gente estabilizar as contas para que depois possamos sonhar. Precisamos ver o que a gente pode fazer pelo município dentro da realidade”.

Dia D

Independente das obras que ainda serão iniciadas, a Prefeitura promove desde quarta-feira (22) um mutirão para minimizar os efeitos das fortes chuvas e recuperar a cidade. “A forte chuva trouxe um verdadeiro caos não só para o nosso município, mas também para os municípios vizinhos. Não é o momento de um ficar apontando para o outro. Temos que dar as mãos e buscar uma solução. É o que estamos fazendo. As nossas maquinas estão nas ruas, nossas equipes estão trabalhando para que possamos recuperar a nossa cidade. Serão três dias de mutirão. Será o Dia D. Estamos pedindo o auxilio de quem tem maquinas, caminhões  e que possam emprestar para poder ajudar e estarmos fazendo um verdadeiro mutirão de limpeza e recuperação das nossas ruas. É uma ação importante, pois é o momento da gente se unir. Fiz um vídeo convocando aqueles que possuem caminhão, maquinas e outros equipamentos que viessem nos ajudar. Nos temos maquinas, claro, mas como a chuva fez muito estrago nada melhor que se unirmos para poder recuperar a nossa cidade o quanto antes. É muito fácil colocar a culpa em um e outro, mas precisamos mesmo de união”, diz Lívia.

Outro ponto a ser implementado será a conscientização da população a fim de diminuir o descarte irregular de lixo nas ruas.  “Vamos realizar um trabalho de conscientização nas escolas para que as crianças possam passar para os seus pais. O que mais vimos nesta chuva que afetou o município foi dentro do rio tinha sofá, cama, colchão, tinha de tudo dentro. Isso com certeza dificultam mais ainda a passagem da água. Tem que ter uma conscientização da população em relação a isso. Quando você joga um lixo na rua ele vai para dentro do bueiro. É importante a colaboração de todos para chegarmos ao ponto que queremos”.

Educação

Durante o encontro, Lívia falou sobre o projeto “Anexo Creche +30” e o desafio de diminuir a fila por vagas em creches na cidade. “Quando assumi, peguei a educação em um estado deplorável. Sabemos das necessidades que temos, inclusive com relação às creches. Vou assinar hoje (terça-feira, 21) a abertura de um grandioso projeto que é o anexo creche. Ele prevê uma total economicidade para o município. Vamos construir uma creche dentro das áreas das escolas já existentes. Temos unidades com áreas enormes e vamos estar aproveitando isso. Vai ser econômico porque vamos utilizar o mesmo corpo docente, instalações como refeitórios já existentes nas unidades. E também as mães que tem mais de um filho e muita das vezes precisa deixar o maior em uma escola e o tem levar o menor para a creche. Com o projeto ela não vai ter mais este problema”.

O anexo vai atender cerca de 30 crianças e será executado dentro das unidades de ensino do município. A prefeita também antecipou que as unidades contarão com quatro salas, sendo uma de multimídia. “Vai gerar uma economia para o município e ao mesmo tempo vai acabar com a demanda reprimida que temos com a falta de creche no município. Já vamos dar inicio ao projeto atendendo a escola em Paracatu, Jardim Califórnia e Mataruna”.

Sobre a retomada de obras paralisadas, a alcaide afirmou que já está dando continuidade a construções de creches em Iguabinha, Fazendinha e São Vicente. Na terça-feira, Lívia assinou o processo para licitação da retomada das obras da Creche da Picada, na Fazendinha.

Outra proposta voltada para a educação é a “Praça Escola 100% ecológica” que será construída nos bairros de Areal e Itatiquara. As unidades escolares terão captação total de água da energia solar, com ginásio reversível para teatro e salão de convenção para 1000 pessoas.

Denúncias

No entanto, Lívia denuncia o desvio da verba destinada à construção e que a retomada será feita com recursos próprios. “Tínhamos algumas creches com obras paradas por culpa do governo anterior. E tem que ser perguntado. Cadê a verba que foi depositada para fazer estas creches? As creches de Iguabinha, Picada e São Vicente estão com as obras paralisadas e a verba sumiu. Até hoje ninguém deu conta. As obras estão sub judice. Estávamos tentando a liberação para dar continuidade. Já foi liberado, sendo que não vamos receber a verba para terminarmos as obras, ou seja, vamos ter que investir com recursos próprios. As obras da creche de Iguabinha já estão a todo vapor e será finalizada em breve. Vamos fazer uma nova licitação para a creche de São Vicente.

A prefeita também aproveitou para esclarecer boatos divulgados nas redes sociais. Ela conta que tem sido alvo do “sistema” e que sempre priorizou a transparência.  “Meu governo sempre será transparente. Entrei para a política por um sonho. Tenho o sonho de fazer uma política diferente. Geralmente quem pensa em fazer uma política séria e honesta com certeza acaba indo de frente com o sistema. Sempre que queremos fazer as coisas diferentes somos perseguidos pelo sistema. É o que estamos vivendo no nosso governo. Todos dentro do sistema contra a nossa gestão que quer fazer as coisas com transparência e honestidade”.

Na última segunda-feira (20), a prefeita foi alvo de críticas após convocar a população para o mutirão de limpeza na cidade, chegaram a citar um contrato emergencial de máquinas pesadas, para limpeza dos bairros e outras atividades, num total de R$ 1.648.000,00.

“Tivemos divulgação de que o contrato era no valor de R$ 1.600.000,00. Bom, acredito que quem fez a publicação não sabe dividir, porque o contrato é de três meses, o que dá uma média de R$ 549 mil. É somente por três meses até que se faça a licitação, até que seja liberado pelo tribunal. Caso seja feita alguma recomendação, vamos cumprir”, alegou.

A chefe do executivo municipal ressaltou ainda a economia nos cofres públicos em sua gestão. “Muito se falou no contrato de maquinas. Não posso deixar de fazer uma observação: o contrato das maquinas no governo dos Jeovani era R$ 800 mil mensais. O contrato da atual gestão é R$ 530 mil mensal. Olha a diferença. Se fossemos olhar quantos anos se passaram, já estamos em 2019. Em 2016, a gestão passada pagava R$ 800 mil. O natural seria aumentar, mas só de olhar os valores podemos ver a economia que o nosso governo tem feito”.

Lívia relata ainda a queda de braço que tem travado com vereadores e empresários na cidade. Segundo ela, as ações políticas tem afetado o desenvolvimento do município. “Abrimos a licitação, mas infelizmente, temos dentro do nosso município empresários e vereadores que estão fazendo de tudo para atrapalhar as licitações municipais. Realmente, acaba atrasando todo o processo e o serviço. Todo nosso governo é feito com transparência. As licitações são abertas, para qualquer um chegar e assistir. Sempre foi desta forma na nossa gestão”.

Diante dos questionamentos sobre valores de contratos, Lívia compara valores gastos pela gestão passada e atual. Ela cita um contrato da Educação firmado pelo ex-prefeito Miguel Jeovani. “Sabe quanto era gasto por mês no aluguel de oito máquinas de xerox? R$ 111.643,23 por mês, cerca de R$ 1.309.718 por ano. Atualmente, temos nove maquinas de xerox com tonner. Gastamos por mês com aluguel apenas R$ 12.800,00, cerca de R$ 145.176,00”, afirma a prefeita.

“Não entendo como ninguém cita esses contratos. É muito mais fácil falar da nossa gestão. Falo tudo com muita propriedade. Tenho toda a documentação. Por isso dizem que sou polêmica. É porque eu sempre tenho a verdade na mão, tenho os documentos para mostrar”, dispara.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here